Dicas do CEO: Defina a cultura da empresa o quanto antes

“Cultura engole a estratégia no café da manhã”. Concorda?

Há aproximadamente 10 anos atrás eu prestei consultoria numa empresa com quase 200 funcionários, onde o maior desafio era executar projetos multidepartamentais. 

Continue reading “Dicas do CEO: Defina a cultura da empresa o quanto antes”

O que os empreendedores de sucesso tem em comum?

(Especial para o Dia do Administrador – 09 de setembro)

Se você perguntar ao Google o que os empreendedores de sucesso têm em comum, certamente irá encontrar diversas matérias sobre o assunto. Essas matérias têm um ponto em comum: todas são baseadas em achismos e experiências dos autores, não em pesquisas ou fatos concretos.

Continue reading “O que os empreendedores de sucesso tem em comum?”

O que é controle de vendas e como implementar?

Já dizia Mary Kay: “Nada acontece até que alguém venda alguma coisa”. Apesar de óbvio, muitas empresas no seu dia a dia não dão o devido valor para essa afirmação. A prova disso é a quantidade de empresários que ainda não implementaram adequadamente um bom controle de vendas em suas empresas.

Continue reading “O que é controle de vendas e como implementar?”

Dicas do CEO: Toda semana uma dica de gestão

Olá! Tudo bem?

Esse é o artigo inaugural da sessão “Dicas do CEO”. Toda quarta-feira, eu, Eduardo Ferreira, CEO da Mainô, vou contar para você, aqui no blog, uma dica de gestão. É conteúdo de dono de empresa para dono de empresa, sem rodeios.

Continue reading “Dicas do CEO: Toda semana uma dica de gestão”

Como escolher um software de gestão para auto peças

A implementação de um software de gestão para auto peças produz diversos benefícios operacionais e financeiros. Com o uso da tecnologia como aliada torna-se possível automatizar processos, reduzir chances de falhas e aumentar a produtividade de toda a organização, melhorando os resultados alcançados.

Um dos maiores desafios de uma empresa de auto peças é conseguir integrar a gestão da empresa com as atividades do dia a dia. Entre atendimentos a clientes e reposição dos estoques, pode ser complicado dar atenção as atividades de gestão como controle de estoque, controle de vendas e controles financeiros.

O objetivo de um software de gestão é justamente facilitar processos e integrar as informações.

Veja neste artigo por que você deveria implementar um software de gestão na sua empresa de auto peças.

Benefícios de utilizar um software de gestão

Um software de gestão é uma plataforma digital criada com a finalidade de facilitar a gestão de uma empresa. Para isso, o sistema deve reunir diversas funcionalidades importantes como: controle do estoque, emissão de NF-e,  controle financeiro, controle das vendas, monitoramento das NF-es, gerenciamento das informações fiscais, entre outros.

São diversos os benefícios para uma empresa de auto peças que decide modernizar a gestão da sua empresa com essas plataformas. Confira os principais deles:

  • Redução do tempo gasto com atividades operacionais: Com o uso de uma ferramenta que automatiza vários processos manuais, a empresa reduz o tempo gasto nas suas atividades rotineiras. Ou seja, torna-se possível aumentar a produtividade de toda a organização. No fim, isso significa mais faturamento com os mesmos recursos.
  • Menor chance de erros: Menor dependência humana significa menor chance de erros cometidos em meio às operações. Afinal, um software não comete erros de digitação por falta de atenção e nem fica cansado em meio ao processo. Processos repetitivos e com baixo valor agregado devem ser automatizados, deixando as pessoas atuarem em processos que envolvam a tomada de decisão.
  • Diminuição de custos: Em vez de adotar diversas ferramentas diferentes, um software de gestão reúne todas as informações em um só local, permitindo a redução dos custos com outras ferramentas, diminuição da mão de obra necessária e eliminação dos gastos com correção de erros.
  • Informações de maior qualidade: As informações geradas com a integração dos dados gerenciais são de ótima qualidade para uma boa tomada de decisão.
  • Ganho de competitividade: Em um mercado tão acirrado, os benefícios obtidos com um software de gestão significam uma grande vantagem competitiva em relação aos concorrentes.

Principais funcionalidades de um software de gestão

Todos esses benefícios são alcançados graças às funcionalidades do software de gestão para empresas de auto peças. Se você está considerando contratar um software para auto peças, veja aqui quais funcionalidades devem ser verificadas.

Monitoramento de NF-e

Você enfrenta dificuldades para identificar quando uma nota fiscal foi emitida contra o CNPJ da sua empresa? Algumas empresas podem levar semanas até processar essas informações em seus controles internos. Com o uso de um software de gestão, essa rotina é executada de forma automática em poucos minutos. Isso agiliza as rotinas internas exponencialmente. Além disso, essa funcionalidade deve ser vinculada ao controle de estoque da empresa, permitindo que uma compra identificada possa entrar no estoque nem a necessidade de digitar os itens novamente.

Controle financeiro

O controle financeiro é fundamental para o sucesso de qualquer pessoa jurídica. Somente com o equilíbrio entre as receitas e despesas é possível alcançar uma boa lucratividade e manter as operações em financiamento. Para isso, é vital que o software de controle financeiro possua as seguintes funcionalidades:

  • Lançamentos de contas a pagar e contas a receber;
  • Automatização de cobrança com emissão de boletos bancários (ajuda atacadistas no combate à inadimplência);
  • Baixa automática de boletos bancários (para atacadistas);
  • Importação de extrato e conciliação bancária;
  • Relatório de fluxo de caixa.

Controle de estoque

Para uma empresa de auto peças, a gestão de estoque é uma rotina determinante para o sucesso, gerando impactos nas despesas operacionais e na agilidade para atender os clientes. Um software de gestão realiza o controle automático sobre o estoque com base em cada nota fiscal de entrada ou saída de mercadorias.

Controle das vendas

A construção de bons relacionamentos e a gestão adequada das vendas feitas pela sua empresa de auto peças são muito importantes para maximizar as receitas obtidas. São funcionalidades fundamentais para o controle de vendas:

  • Cadastro de clientes;
  • Acompanhamento das etapas de vendas;
  • Relatórios de histórico de vendas por cliente;
  • Controle de limite de crédito por cliente;
  • Bloqueio de vendas para clientes inadimplentes.

Gerenciamento das informações fiscais

Ao facilitar o cumprimento das obrigações legais completa um bom sistema de gestão permite que usuários com pouco ou nenhum conhecimento na área fiscal possam emitir NF-e, contanto que previamente ele seja parametrizado. Dentre as principais funcionalidades que deve-se esperar estão:

  • Emissão e monitoramento de NF-es;
  • Parametrização tributária de produtos por NCM;
  • Geração de arquivos para o SPED Fiscal e Contribuições;
  • Cálculo de impostos a partir das diferentes operações da empresa;
  • Softwares como o Mainô já integram as informações tributárias com empresas que fornecem essa tributação atualizada, tendo assim como funcionalidade o acompanhamento e alertas em relação a alterações na tributação dos seus produtos.

 

NCM Distribuidoras Autopeças: Tabela 2019 atualizada

Quer ter acesso a uma tabela de NCM autopeças atualizada? Preparamos uma especialmente para você!

Uma nota fiscal contém muitas informações importantes não só para a empresa, mas também para o cliente e para o poder público. Entre elas, estão os códigos numéricos que acompanham cada um dos produtos comercializados. Esses códigos são chamados de NCM.

A classificação correta dos produtos que sua empresa comercializa é essencial para evitar multas e dores de cabeça.

Para ajudar a sua empresa de autopeças, selecionamos o código de NCM atualizado dos principais produtos vendidos em uma loja de peças automotivas.

Clique aqui para baixar gratuitamente!

Gostou da tabela? Deixe aqui o seu comentário! 

O que é logística e qual sua importância para o comércio exterior?

Você sabe o que é logística? Trata-se de um dos assuntos que levanta mais dúvidas nos empreendedores quando falamos sobre comércio exterior. A complexidade no transporte das mercadorias já é grande dentro do território nacional e operações de importação e exportação adicionam ainda mais complexidade aos processos.

Uma empresa que deseja alcançar bons resultados precisa otimizar a gestão do estoque, certo? Entretanto, esse procedimento se torna mais difícil quando não existe uma previsibilidade exata sobre a chegada das mercadorias importadas e os custos totais da operação ainda são desconhecidos. 

Para evitar essas complicações é importante conhecer mais sobre o que é logística. Neste artigo veremos um pouco mais sobre o assunto.

O que é logística internacional?

Todas as empresas que lidam com comércio exterior sabem como pode ser complexo operacionalizar a importação ou exportação de produtos. Além do risco do aumento do tempo de deslocamento das mercadorias, existem diversos trâmites burocráticos que tornam ainda mais demorados os fluxos de operações.

A logística internacional é uma área estratégica que lida com as ações externas da empresa, procurando estruturar melhor os processos e melhorar o relacionamento com os parceiros comerciais. Isso é fundamental para tornar toda a empresa mais eficiente – refletindo desde a gestão do estoque até os resultados financeiros.

A importância da logística para empresas de comércio exterior

A preocupação contínua em otimizar os processos de logística em empresas de comércio exterior é fundamental para o desenvolvimento das suas operações de forma cada vez mais previsível, com menos custos e riscos. Quando as operações não funcionam corretamente, pode ocorrer um impacto negativo para a empresa. Esse impacto pode representar não apenas prejuízo financeiro na operação, mas um desgaste na imagem da empresa com seus clientes e outros stakeholders.

Muitos empresários pensam o que é logística somente como transporte de mercadorias. Entretanto, o assunto é muito mais amplo. Na área comercial da Mainô, por exemplo, ajudamos diariamente empresários que tiveram desgastes com clientes devido a demora na emissão de notas fiscais. Apesar de se tratar de um assunto fiscal, uma mercadoria não pode ser transportada do ponto A para o ponto B sem a NF-e. Dessa forma, ter um software de emissão de notas fiscais que minimiza o tempo gasto deve sim ser uma preocupação da área de logística.

emita sua nf-e de importação em 2 minutos agora!

Veja alguns dos fatores que comprovam a importância da logística para as empresas de comércio exterior:

  • Organização interna da empresa: o domínio sobre o que é logística permite que todos os setores da empresa estejam preparados para encarar os procedimentos necessários, evitando perda de tempo, desperdício de recursos e outros transtornos que poderiam surgir.
  • Economia de recursos da importação: compreender todos os procedimentos da importação de produtos permite que você tome as melhores decisões e poupe dinheiro.
  • Melhoria da relação com parceiros: negociar preços e prazos benéficos para ambas as partes é uma ótima forma de melhorar o relacionamento com os seus parceiros de importação.
  • Redução de erros no comércio exterior: por conta de toda a complexidade envolvida no comércio exterior, podem ocorrer muitos erros no meio do percurso. A logística garante que você tenha domínio sobre todo o processo de transporte das mercadorias até a sua empresa.
  • Gestão do estoque: com o aumento da previsibilidade de custos e prazos, a gestão do estoque também fica facilitada, aumentando a qualidade das informações.

Dicas para melhorar a logística internacional

Para as empresas importadoras que desejam melhorar seus processos de logística, é possível alcançar uma melhoria no desempenho seguindo as seguintes dicas:

  • Compreenda as normas de negociação: é preciso que você conheça as normas de negociação vigentes no país da empresa exportadora para que você saiba exatamente o que esperar da operação, incluindo obrigações e custos que você poderá arcar.
  • Conheça os seus fornecedores: se já é importante conhecer a fundo quem são os seus fornecedores brasileiros, descobrir mais sobre os seus fornecedores estrangeiros é fundamental. Busque informações sobre a sua reputação, mercadorias oferecidas, preços praticados, prazo para entrega, condições de pagamento, entre outras que possam ser úteis.
  • Conheça a cultura local: Compreender a forma com que os fornecedores negociam e lidam com a construção de relacionamentos comerciais é fundamental para estabelecer relações duradouras. Parte dessa compreensão vem do estudo da cultura e costumes locais.
  • Avalie o melhor método de transporte: faça uma boa avaliação sobre a melhor forma de transporte das suas mercadorias, pensando no processo de logística como um todo, até que os produtos estejam na sua empresa. Analise custos, prazos de entrega e eventuais problemas que poderiam inviabilizar a operação.

Ampliou seu conhecimento sobre o que é logística e sua importância no comércio exterior? Se você deseja conferir mais informações úteis como essa, deixe o seu comentário!

Como calcular uma margem de lucro do seu produto?

Conhecer a margem de lucro dos produtos comercializados pela empresa é fundamental para alcançar bons resultados financeiros. O objetivo de qualquer empresa é obter uma boa lucratividade, certo? Alcançar esse objetivo passa diretamente pela contribuição gerada por meio venda de cada um dos produtos.

Muitos empresários analisam apenas o faturamento bruto obtido pelas vendas dos produtos. E isso muitas vezes gera uma falsa sensação de que estão alcançando resultados positivos. Entretanto, quando é feita uma análise ao final do período percebe-se que o fluxo de caixa não reflete esses bons resultados e que o lucro obtido é muito abaixo do esperado.

Você já passou por situações semelhantes a essa? Então você precisa compreender como calcular a margem de lucro do seu produto. Confira neste artigo.

A importância de conhecer a margem de lucro

Uma empresa precisa pagar diversas despesas fixas e variáveis no decorrer das suas operações, certo? Todos esses custos precisam ser levados em conta no momento de definir o preço de venda dos produtos e de analisar os resultados alcançados.

A margem de lucro é uma forma de visualizar claramente qual é a contribuição real de cada um dos seus produtos para compor os lucros da organização. Para isso, é preciso fazer uma relação entre o faturamento obtido e todos os custos envolvidos na operação da empresa.

A grande importância de conhecer a margem de lucros dos seus produtos está relacionada à análise correta sobre os resultados obtidos. Se você compra uma mercadoria por R$100,00 e revende por R$150,00, parece fácil compreender que o lucro obtido foi de R$50,00. Entretanto, essa lógica não considera os gastos com combustível, funcionários, aluguel da sala comercial, energia elétrica, entre vários outros.

É apenas depois de calcular todas as despesas que precisam ser pagas pela sua empresa que você consegue avaliar quanto essa venda pode gerar de lucro. E isso é fundamental para calcular corretamente o lucro líquido e otimizar o fluxo de caixa.

Como calcular a margem de lucro de um produto

O cálculo da margem de lucro é muito simples de ser feito – basta que você tenha em mãos as informações necessárias. Veremos a seguir como você pode calcular a margem de lucro bruta e líquida dos seus produtos.

Margem de lucro bruta

Margem Bruta = (Receita Líquida – Custos Operacionais) / Receita Líquida

A fórmula da margem de lucro bruta considera o lucro bruto da empresa – que considera apenas os custos operacionais, sem a incidência de tributação e despesas fixas e variáveis. Veja um exemplo de cálculo:

  • receita líquida: R$1.000,00;
  • custos: R$600,00;
  • lucro: R$400,00;
  • margem de lucro bruta = R$400,00 / R$1.000,00 = 40%.

Margem de lucro líquida

Margem Líquida = (Receita Líquida – Custos – Despesas) / Receita Líquida

Para o cálculo da margem de lucro líquida vamos considerar a incidência dos tributos, despesas fixas e variáveis – tornando uma análise mais próxima da realidade. Veja um exemplo de cálculo:

  • receita líquida: R$1.000,00;
  • custos: R$600,00;
  • impostos: R$100,00;
  • despesas fixas e variáveis: R$100,00;
  • lucro líquido: R$1.000,00 – R$600,00 – R$100,00 – R$100,00 = R$200,00;
  • margem de lucro líquida = R$200,00 / R$1.000,00 = 20%.

Note que ambas as fórmulas podem ser aplicadas tanto para calcular a margem de lucro geral da empresa ou de um produto em específico. Nesse caso, é preciso fazer um rateio das despesas fixas e variáveis para identificar a incidência desses custos em cada uma das operações de venda.

Existe uma margem de lucro ideal?

O objetivo de qualquer empresário é potencializar o lucro líquido da empresa e otimizar o seu fluxo de caixa. Por conta disso, surge uma pergunta muito comum: existe uma margem de lucro ideal?

Entretanto, não existe uma resposta mágica para essa pergunta. Cada ramo de atividade trabalha com margens muito diferentes que devem se adaptar aos custos da empresa e ao mercado consumidor.

Uma boa forma de acertar na definição do preço de venda é avaliar as condições do mercado, a postura dos concorrentes e definir um posicionamento de mercado – sem nunca deixar de lado a busca pelo aumento do lucro líquido.

Você já sabia como calcular a margem de lucro do seu produto? Deixe seu comentário! 

Venda por operação triangular: o que é?

Você sabe como funciona a venda por operação triangular? Esse é um assunto que desperta muitas dúvidas em empresas que não estão habituadas a esse tipo de operação – principalmente no momento de emitir a nota fiscal eletrônica.

A venda triangular é operação em que a empresa precisa enviar o produto vendido diretamente para o cliente de seu cliente. Imagine que você trabalhe com a importação de vinhos e seus clientes sejam comércios atacadistas. Entretanto, um dos seus clientes faz um pedido de compra de mercadorias que já estão vendidas para um supermercado e é solicitado que você envie esses produtos diretamente para esse estabelecimento. E agora, como você deve agir?

Para acabar com as suas dúvidas sobre o assunto, veremos tudo sobre venda por operação triangular. Confira.

O que é venda por operação triangular?

Conforme acabamos de ver, a venda triangular é a operação em que você deve entregar a mercadoria vendida para o cliente do seu cliente. Para que isso fique mais claro, vamos definir as três pessoas envolvidas nessa operação:

  • Fornecedor (sua empresa): essa é a empresa que está em posse da mercadoria vendida.
  • Revendedora: é a empresa que adquiriu a mercadoria com o intuito de revendê-la.
  • Cliente final: é o cliente que comprou a mercadoria do revendedor – podendo ser uma pessoa física ou jurídica.

Em uma operação de vendas normal, o fluxo de operações seria:

  1. A mercadoria sai da sua empresa e é entregue na empresa revendedora.
  2. Após recebida a mercadoria, a empresa revendedora faz a venda e entrega o produto para o cliente final.

Entretanto, na venda por operação triangular, a operação acontece de forma diferente: a mercadoria sai da sua empresa e é entregue diretamente para o cliente final – mesmo que quem faça o pagamento pela compra seja a empresa revendedora.

Como funciona a emissão da nota fiscal eletrônica na venda  triangular?

Em uma primeira análise, a venda triangular não teria problema algum para a sua empresa: basta modificar o endereço de entrega das mercadorias. Entretanto, é necessário que você dê uma atenção especial para a emissão da nota fiscal eletrônica nessa operação.

Para que a venda por operação triangular aconteça sem problemas, é preciso que a sua empresa emita duas notas fiscais: uma para a empresa revendedora e outra para o cliente final. Caso contrário, não será possível transportar o produto até o destino combinado.

CFOP da venda triangular

O maior desafio da venda por operação triangular é encontrar o CFOP (Código Fiscal de Operações e Prestações) adequado. Veja quais são os códigos de operação que você deve informar na nota fiscal eletrônica:

Nota fiscal para a empresa revendedora

  • CFOP 5.118 ou 6.118: venda de produção do estabelecimento entregue ao destinatário por conta e ordem do adquirente originário, em venda à ordem.

Nota fiscal para o cliente final

  • CFOP 6.923 ou 5.923: remessa de mercadoria por conta e ordem de terceiros, em venda à ordem.

Em ambos casos é preciso ficar atento ao primeiro dígito do código:

  • 5.000: saídas de mercadorias dentro do estado.
  • 6.000: saídas de mercadorias para outros estados.

Além disso, é importante ressaltar que a nota fiscal emitida para o cliente final é isenta de tributação e utilizada exclusivamente para fins de transporte. A empresa revendedora deve emitir uma nota fiscal para o cliente final e realizar o recolhimento dos tributos devidos na operação.

Você já conhecia o funcionamento da venda por operação triangular? Gostaria de receber mais informações como essa? Então assine a nossa newsletter agora mesmo!