Fluxo de vendas: potencializando lucros de Distribuidoras

Fluxo de vendas: empresas de Distribuição estão sempre buscando maneiras de tornar o processo de vendas mais ágil e mais eficiente.

Com o sistema de gestão da Mainô, a distribuidora tem todos os processos integrados desde a emissão dos pedidos, faturamento e cobrança, reduzindo o trabalho manual e problemas fiscais. Leia o artigo completo para saber todos os detalhes  como isso pode aumentar a lucratividade do seu negócio. 

O que é e como criar um fluxo de vendas 

O fluxos de vendas é o processo que um time comercial deve desempenhar para que cada uma das 7 etapas de um funil de vendas cumpram seu objetivo até o resultado. Esse fluxo deve ser observado com uma olhar estratégico, desde a prospecção, negociação, processamentos dos pedidos até a emissão e entrega da nota fiscal para o cliente.

Observar cada ponto deste processo, é o que vai garantir se a sua empresa está perdendo dinheiro ou não. Para criar um fluxo de vendas eficiente, no caso de uma distribuidora,  é necessário também observar fatores como transporte, armazenamento e também a parte fiscal do seu processo. Dessa forma sua empresa terá segurança para mensurar e extrair dados mais assertivos sobre a saúde da sua gestão de vendas.

Benefícios de ter um Fluxo de vendas ajustado

Quando olhamos para cada uma das áreas do fluxo de vendas de nossa empresa, começamos a enxergar certos gargalos. Tendo uma visão sobre eles, podemos ter clareza na tomada de decisão. Onde está o problema, na demora dos pedidos? Processos manuais e lentos estão atrapalhando o crescimento do volume de vendas? localizando esses fatores, questionamentos como estes começam a ser solucionados.

Com um fluxo de vendas mais “alinhado“ a sua empresa ganha agilidade, pois as etapas ficam mais claras, tornando possível identificar e corrigir em menor tempo os entraves em cada uma delas.

Além disso, você pode metrificar e gerenciar de forma mais eficaz a produtividade em cada etapa, o que permite ajustar os esforços em cada uma delas para ter melhor aproveitamento. Consequentemente melhorar resultado final do funil.

fluxo de vendas

Fluxo de vendas: automatizar = mais lucro

Os benefícios de ter um fluxo ajustado é bom para o seu negócio, isso já comprovamos. Agora, imagine um cenário onde você pode, além de ajustar o seu fluxo de vendas, deixar tudo rodando de forma automática e 100% integrada.

O tempo antes dedicado a burocracias de rotina, poderá ser utilizado para gerar mais vendas. É exatamente isso que o fluxo de vendas automatizado da Mainô fará por sua empresa.

Nós devolvemos a produtividade que você precisa,  para pensar de forma ainda mais estratégica nos seus negócios. O fluxo de venda da Mainô proporciona a integração com o fiscal para o distribuidor, eliminando a complexidade fiscal sem ter que escrever e-mail, preencher planilhas, tudo através de um click.

Com o Software Mainô você terá:

  • Sincronia no seu processo comercial e sem dores de cabeça com os cálculos tributários;
  • Nosso sistema integra seu processo de ponta a ponta. Desde a entrada do seu produto no estoque, até a emissão e a gestão das notas fiscais;
  • Esqueça as planilhas, esqueça os e-mails, esqueça as impressões de documentos, e o melhor de tudo, não dependa de ninguém.

Se você precisa otimizar o seu fluxo de vendas com uma operação totalmente integrada fale com nossos especialistas clicando aqui e conheça a solução definitiva para seu negócio de distribuição!

Controle por lote e validade: qual a importância para a sua empresa

O Controle por lote e validade proporciona gerenciamento e segurança para distribuidores de diversos setores. Seja em setores como o de cosméticos, tecnologia, alimentos, medicamentos ou qualquer outro que atue com produtos perecíveis.

O sistema de gestão Mainô, otimiza toda a gestão do estoque, mesmo que tudo esteja desorganizado, pra você controlar de forma automática através de um sistema totalmente integrado. Leia o artigo até o final e confira dicas práticas para a sua empresa de distribuição.

Controle de estoque: qual o impacto no seu negócio

Dentro de qualquer distribuidora o controle de estoque é algo indispensável. Ter controle dos seus produtos desde a chegada dos suprimentos, a entrada no estoque e armazenamento, é eliminar um grande problema que a maioria das empresas de distribuição enfrenta. Ter um olhar sobre toda a operação garante que você consiga gerenciar as mercadorias evitando desperdícios.

O controle de estoque é apenas o início de uma gestão eficaz. Existem outros pontos que também precisam de muita atenção. Desde o seu fornecedor a entrega e também a experiência do cliente como um todo. No entanto, se a sua operação logística é ruim, pode gerar a falta ou excesso  de produtos no estoque, causando impacto direto nas suas vendas. Isso nós sabemos que é um péssimo sinal para o seu negócio. 

O que é e como funciona um lote

De forma simplista, em logística, um lote é qualquer remessa composta por várias unidades de um mesmo item de suprimento. Esse lote é formado por produtos com o mesmo prazo de validade e, consequentemente, código de barras iguais.

Normalmente, para se ter um controle e rastreabilidade ainda maior, você também pode identificar cada item com um número de série. O benefício disso é que na distribuição de produtos eletrônicos, por exemplo, este controle permite descobrir quais peças foram usadas em cada um dos aparelhos e, gerenciar as garantias junto ao fabricante e até trocas por defeitos recorrentes em um lote específico.

funcionário efetuando controle por lote e validade no estoque

Controle por lote e validade: benefícios da gestão de estoque

Existem diversos tipos de movimentações de estoque. Seguir boas práticas refletirá em benefícios diretos, como evitar o desperdício de produtos perecíveis. Regras como FIFO, LIFO e FEFO garantem um padrão nessas movimentações. Além de tudo, você diminui os riscos existentes na operação como manter produtos obsoletos ou  avariados. Atentar para estes detalhes melhora a qualidade da sua gestão de estoque de forma geral.

Controle por lote e validade: sistemas de gestão ajudam?

Se no seu negócio de distribuição você ainda não possui um ERP para gerenciar a sua operação  de forma automatizada, você está deixando seu dinheiro na mesa!

Com um software de gestão, você pode garantir um controle de estoque por lote e validade de forma segura, eficiente e totalmente automatizada. Além de ter uma visão completa da sua empresa, você terá de forma integrada seu estoque,  financeiro e vendas. Consequentemente, evitará multas e complicações com o fisco e com órgãos regulamentadores. 

Automação no controle por lote e validade

Realizar o controle por lote e validade de forma manual pode ser muito trabalhoso e você sabe disso. Sempre fica uma sensação de que os seus relatórios de estoque nunca estão batendo. No entanto, essa não precisa ser a sua realidade! Com o Mainô você terá um sistema robusto pronto para atender as demandas da sua empresa de distribuição.

Com o Mainô você terá:

  • Controle do estoque por número de lote e validade
    permitindo o acompanhamento de todos os movimentos realizados pelo produto por entrada e saída. Por exemplo: compra de composição de estoque e saída para remessas e vendas;
  • Rastreabilidade do produto pelo seu número de lote e validade ou série:
    Você conecta todas as informações referente aos produtos em toda a cadeia de suprimento. Agilidade e segurança em casos de recall por exemplo;
  • Relatórios a poucos cliques, extraindo em planilhas toda a movimentação;
  • Integração com todas as áreas da empresa, inclusive o setor financeiro, compras e vendas.

Suas obrigações de forma automatizada

Além de tudo isso, as novas demandas dos órgãos reguladores obrigam diversos setores a exporem as informações de rastreabilidade dos produtos. No software Mainô, você pode cadastrar de forma simples os dados de lote, datas de fabricação, produção e validade, atendendo a todas estas obrigatoriedades.

Se você deseja otimizar toda a gestão do estoque, mesmo que tudo esteja desorganizado, pra você controlar de forma automática e 100% integrada, fale com nossos especialistas e conheça a solução definitiva de controle por lote e validade para o seu negócio de distribuição.

Simples Nacional: quais as vantagens para PMEs

O Simples Nacional se trata de um regime tributário especial dedicado a beneficiar micro e pequenas empresas. Além disso é um regime que simplifica o recolhimento de impostos destes negócios através de apenas uma guia, a DAS. Porém este benefício é muito mais do que isso. Ele tem uma série de benesses das quais vamos citar as vantagens mais importantes. Leia este artigo até o final para aproveitar por completo as oportunidades deste benefício.

1. É simplificado

Talvez esta seja a mais importante vantagem para empresas de pequeno porte. A simplificação dos impostos facilita muito o controle para negócios desta faixa. Em um só sistema, é possível incluir 8 tributos em uma única forma de cálculo e pagamento. Para isso, basta acessar a tabela do Simples Nacional, verificar em qual faixa de receita seu negócio se enquadra e fazer o cálculo.

Abrange os seguintes impostos:

IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica);

CSLL (Contribuição Social de Lucro Líquido);

Pis/Pasep (Programa de Integração Social e Programa de Formação de Patrimônio do Servidor Público);

Cofins (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social);

IPI (Imposto Sobre Produtos Industrializados);

ICMS (Imposto de Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços);

ISS (Imposto Sobre Serviço);

CPP (Contribuição para Seguridade Social).

2. Tem vantagens em Licitações Públicas

Empresas enquadradas no Simples Nacional têm preferência em licitações nacionais, estaduais ou municipais. Também serve como critério de desempate. Uma bela vantagem não?

3. Conta com regras especiais

Para empresas do simples existem algumas regras especiais para protesto de títulos por meio da redução de taxas, o que reflete positivamente na economia do negócio.

4. Traz economia em tributos para a empresa

Com unificação de impostos, pagos de forma simplificada, pode representar até 40% de economia para as empresas de acordo com suas condições — principalmente se forem ligadas à indústria, ao comércio varejista e à prestação de serviços.

5. Reduz a burocracia

Sem a necessidade de realizar cadastros estaduais e municipais, o Simples Nacional reduz significativamente a burocracia. O CNPJ no sistema do Simples é o único identificador da inscrição da empresa;

6. Economiza tempo 

Como acima, a agilidade em resolver processos burocráticos e as facilidades para manter em dia o pagamento de tributos, a empresa ganha tempo para se dedicar a outras questões importantes do seu negócio.

7. Uma alternativa para a crise

A partir de 2016, várias empresas brasileiras optaram pelo Simples como forma de driblar os altos impostos e não ter tanto prejuízo com a crise financeira nacional.

8. Reduz custos trabalhistas

No Simples Nacional não paga INSS Patronal, o que reduz os custos na folha de pagamento de cada funcionário.

Gostou de saber um pouco mais sobre as vantagens do Simples Nacional? Então siga nossas redes sociais e fique por dentro de outros conteúdos como este!

Já possui um sistema de gestão? Experimente gratuitamente o Mainô o software de gestão para Distribuidoras e empresas de comércio exterior. Clique aqui e confira.

 

O que é Drawback? Reduza os custos dos seus produtos exportados

Exportação com Drawback

O regime drawback ainda é pouco conhecido em comparação a grande oportunidade que ele oferece. Fabricantes que produzam ou vendam produtos nacionalmente podem usufruir de uma excelente vantagem junto ao mercado internacional. O Drawback se trata de um incentivo fiscal que tem por objetivo aumentar a competitividade no comércio exterior e também oferecer melhores condições para empresas exportadoras. Com isso, equilibra a balança comercial, o que traz um grande benefício para o país como um todo.

O que é o Drawback?

O Drawback nada mais é do que um regime especial da exportação que pode restituir, isentar ou suspender os impostos pagos na importação de matéria-prima ou componentes que serão usados em produtos que serão exportados posteriormente. Este regime possui uma série de vantagens que beneficiam não somente os empreendedores que aproveitam esse incentivo, mas toda a relação de comércio exterior. Isso acontece para favorecer a balança comercial do país, criando também vantagem competitiva para os produtos brasileiros no exterior. Por isso, reduzir os custos de fabricação é uma excelente forma de estimular o crescimento do setor.

Cenário da exportação

Em recente pesquisa diagóstica feita no Rio de Janeiro, refletiu um cenário ainda tímido diante das oportunidades que existem no setor. De acordo com a Firjan, criadora do diagnóstico do comércio exterior do estado do Rio de Janeiro, a percepção de dificuldades na exportação voltou a aumentar (76%): em 2013, 71% das empresas sinalizaram encontrar entraves, percentual que havia reduzido ao longo das últimas edições. Dentre as empresas que identificam dificuldades, a burocracia tributária foi pela primeira vez o obstáculo de maior impacto nas exportações fluminenses (47%), o que também foi apontado como principal entrave a ser combatido pelo
governo.

Frequência das Exportações (%)

Principais Entraves às Exportações (%)

Outro detalhe mencionado no diagnóstico foi a dificuldade de exportação para alguns países. Os países mais citados foram Estados Unidos e Argentina, que também são dois dos maioresparceiros das exportações do Rio, tendo havido apenas inversão de posições entre o 1º e o 2º lugar. Já o México aparece na terceira colocação, citado por 7% dos entrevistados.

Dentre os dez países com mais dificuldade no processo de exportação, seis são da América Latina, países que
possuem acordos comerciais com o Brasil para facilitação do comércio. Destaque para a Bolívia, que em 2017
teve 2% de citações e este ano obteve 6%.

Países com mais Dificuldades no Processo de Exportação (%)

Fonte: Firjan

Quais produtos se enquadram no drawback?

Todo produto, matéria-prima ou insumo,  para ser enquadrado no regime drawback, obrigatoriamente precisa passar pela industrialização. Sendo assim, precisa ser enquadrado em umas das 4 formas aceitáveis, sendo elas:

  • Transformado;
  • Recondicionado;
  • Montado;
  • Renovado. 

Se enquadrando em  um destes, é obrigatório que seja feita uma comprovação de que os produtos industrializados foram, de fato, exportados.

Afinal, quais são os benefícios do Drawback?

Este regime incentiva a exportação suspendendo, restituindo ou eliminando (falaremos mais abaixo sobre os tipos de regime) alguns impostos que normalmente são exigidos de produtos importados. Entre as principais contribuições, podemos destacar:

  • Imposto de Importação (II);
  • Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS);
  • Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);
  • Adicional sobre o Frete para Renovação da Marinha Mercante (AFRMM);
  • Programa de Integração Social / Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (PIS/COFINS);
  • demais taxas ligadas a prestação de serviços.
  • Por conta disto é tão vantajoso e oportuno aproveitar o incentivo que muitas empresas que se enquadram nessa modalidade ainda não usufruem.

Drawback: tipos de Regime   

Existem três modalidades do regime:

Suspensão: suspensão dos tributos sobre insumos que serão utilizados na fabricação de produtos destinados à exportação;

Isenção: dá-se através da reposição do estoque de insumos importados para a fabricação de produtos que já foram exportados;

Restituição: restituição total ou parcial de tributos que incidiram na importação de insumos utilizados na fabricação de produtos que foram exportados.
Para o sucesso da exportação, outro ponto de atenção deve ser levado em conta: as certificações de qualidade. Para entrada dos produtos estrangeiros em alguns países exige-se este fator é essencial para o sucesso das exportações.

Segundo o site da receita, o drawback de restituição praticamente não é mais utilizado. O instrumento de incentivo à exportação em exame compreende, basicamente, as modalidades de isenção e suspensão .

O Comunicado DECEX nº 21/97, alterado pelo Comunicado DECEX nº 2 (da atual Secretaria de Comércio Exterior – SECEX ), estende o benefício a algumas operações especiais. Assim, a modalidade suspensão é aplicada às seguintes operações:

Drawback Genérico
Caracterizado pela discriminação genérica da mercadoria a importar e o seu respectivo valor;

Drawback Sem Cobertura Cambial
Quando não há cobertura cambial, parcial ou total, na importação;

Drawback Solidário
Quando existe participação solidária de duas ou mais empresas;

Drawback para Fornecimento no Mercado Interno
Trata de importação de matéria-prima, produto intermediário e componente destinados à industrialização de máquinas e equipamentos no País, para serem fornecidos no mercado interno, em decorrência de licitação internacional – venda equiparada à exportação (Lei nº 8.402, de 08/01/92).

Este artigo é uma prévia de um guia completo que a Mainô está preparando para você: O Guia de Exportação para empresas 2020. Se sua empresa ainda não realiza exportações, está perdendo excelentes oportunidades. As vantagens são inúmeras, como fugir da sazonalidade com negócios nacionais e sofrer com a queda das vendas. Com a exportação você aumenta seu faturamento, fugindo das oscilações e ainda pode ganhar mais estabilidade vendendo em uma moeda mais forte e consistente: o dólar.

Aguarde o lançamento, até a próxima!

 

 

 

Top 5 Influenciadores do Comex pra seguir no linkedin

O Comex mudou! Com inovações tecnológicas e ferramentas digitais,  muitos profissionais do setor vivenciaram um divisor de águas em suas carreiras. Veja como alguns deles utilizaram a transformação digital para se diferenciar da concorrência, aumentar significantemente o seu impacto e porque você deve seguí-los imediatamente na maior rede profissional do mundo, o Linkedin. Leia este artigo até o final!

Top 5 influenciadores do Comex pra seguir no linkedin

Estas personalidades compartilham, diariamente, seus conhecimentos e vivências no mundo corporativo. Por isso, se tornaram referências no Linkedin. Dentre os diversos assuntos estão empreendedorismo, novas tecnologias e inovação no setor de comércio exterior. Através desta rede, eles publicam artigos e vídeos com grande engajamento entre os usuários da plataforma.

Neste artigo você conhecerá os maiores influenciadores que através desta transformação digital aumentaram o seu impacto e também criam todos os dias mais oportunidades de negócio.

Autoridade digital no comex

A transformação digital já atingiu grande parte dos setores da economia nacional e no setor de Comex não seria diferente. Os grandes players do mercado já estão adequando a sua forma de fazer negócio e de se comunicar com os seus clientes. Afinal de contas em um universo de informação como se destacar no mercado? Ganhar autoridade no meio digital? aumentar o impacto de sua mensagem? Se comunicar diretamente com seu público criando proximidade? Um mix de todos esses fatores é o que leva aos profissionais do Comex 4.0 se destacarem e sair na frente da concorrência.

 Nós separamos 5 influenciadores do comex da atualidade. Cada um com sua característica e especialidade, seguem ampliando uma mensagem de um setor de comex mais ágil, inteligente e tecnológico.

Vamos lá aos 5 profissionais mais relevantes do Comex na Atualidade!

1 – LEONARDO SCHMIDT

Sócio e Head Comercial da Interfreight Logistics

Empreendendo a mais de 13 anos, Leonardo possui vasta experiência em vendas, planejamento e gestão de operações de comércio exterior, logística internacional, assessoria aduaneira e liderança comercial para prospecção e vendas.  Atualmente ele aborda o tema “Comex 360°”. O seu objetivo é ajudar profissionais a fortalecerem a sua visão estratégica em temas como compras e logística internacional, gestão de custos, seguro, despacho aduaneiro, SISCOSERV, exportação e etc. Vale a pena ler o último artigo postado por ele através deste link.

Linkedin

2 – CARLOS ARAÚJO

CEO e Fundador do comexblog.com

Há quase três décadas no comércio exterior, Carlos é especialista em procedimentos aduaneiros e seu escritório já conectou os caminhos da internacionalização para mais de 133 empresas.  Seu principal lema “Desburocratizar o comércio exterior para empresas”. 

Carlos se destaca pela forma que utilizou ferramentas do meio digital para criar novas oportunidades no setor de Comex. Criou o Comexblog onde até hoje distribui conteúdo de excelente qualidade em diversas plataformas digitais. Do despacho aduaneiro a educação continuada, fornece treinamentos e mais de 1300 alunos já passaram pelo Comexblog. 

Linkedin

3- HÉLIO MEIRIM

CEO da HRM Logística e Coordenador da Comissão de Logística do Conselho Regional de Administração – RJ

Helio atua há mais de 20 anos no Brasil e no exterior em cargos executivos de empresas nos segmentos de Operadores Logísticos, Transportadores, Varejo, E-Commerce, Indústria Farmacêutica, Alimentícia, Siderúrgica, Química e Agrobusiness.

Além disso atua como mentor de negócios e agrega muito valor a quem acompanha seu conteúdo. Se você deseja conteúdo de qualidade em inovação, novas tendências para logística e muito mais, acompanhe!

Linkedin

4- Jonas Vieira

Jonas tem se diferenciado com seu conteúdo sobre  sobre comércio exterior de forma bem humorada e sem muitas formalidades. Seu conteúdo além de muito rico é um material leve para ser consumido por seus leitores.

Possui mais de 11 anos atuando no setor de comércio exterior, hoje no setor químico, também é palestrante e escritor.

Leia o artigo “Causo de importação” Vale muito a pena!

Linkedin 

5 -Eduardo Ferreira

CEO da Mainô Sistemas

Eduardo é formado em Ciência da Computação pela UFRJ, pós graduado na PUC em Gerência de Projetos e Software. Em 2007 fundou a Mainô na Incubadora da Empresas da COPPE. Atualmente é CEO da empresa, a qual é uma importante condutora da inovação e tecnologia no setor de Comex. 

Através do seu linkedin compartilha desafios e aprendizados de uma jornada de mais de 10 anos atuando com empreendedores.  Seu principal lema é a automatização de processos e aumento da produtividade para empresas de comércio.

O artigo com mais alcance é o que fala sobre a emissão da nota fiscal de importação em apenas 2 minutos. Quebrando diversos paradigmas burocráticos segue inovando e agregando valor para negócios de comércio exterior.
Cada um em suas especialidades, estas personalidades seguem ajudando empreendedores a se desenvolverem, consequentemente, movimentando a economia do setor e trazendo novas soluções que englobam o Comex 4.0.

Uma grande oportunidade para o Comex

Com certeza seria uma grande oportunidade estar com alguns destes nomes em uma experiência de troca e aprendizado. Isso é totalmente possível!
No dia 17 de outubro de 2019  grande parte destes influenciadores estarão discutindo essas novas tendências do setor no
Mainô Business Conference, o MBC. Este é o maior evento de comércio exterior do Brasil. Este evento será dividido em diversos painéis, workshops e palestras completas será um marco para o setor de comex

Se você ainda não garantiu o seu ingressos, estão sendo divulgadas as últimas vagas.

Empreendedores: os 4 erros mais comuns entre eles

Empreendedor no escritório em meio a papéis e planilhas.

Você já se perguntou quais são os erros comuns de empreendedores? Um erro frequente é não estabelecer metas tangíveis, outro é traçar metas de curto e de médio prazo. O sucesso de uma startup não é consequência da sorte ou de estar no lugar certo na hora exata.

Um empreendedor é bem-sucedido quando comete poucos erros ou os corrige o quanto antes. E isso é possível quando se aprende algumas lições valiosas logo no início.

No post de hoje vamos mostrar 4 erros mais comuns dos empreendedores que você deve evitar para transformar a sua startup em um sucesso:

4 erros mais comuns entre os empreendedores

1. Não gastar dinheiro suficiente ou gastar muito dinheiro

Em geral, os empreendedores comentem dois grandes erros com relação ao dinheiro disponível no caixa da empresa: ou gastam demais esperando que o dinheiro gasto seja recuperado em um prazo muito curto, ou não gastam absolutamente nada, até conseguirem obter um fluxo de caixa decente.

No entanto, as duas atitudes podem prejudicar o crescimento de uma empresa — é importante gastar dinheiro com sabedoria, investir em produtos de qualidade e oferecer bons salários para conseguir contratar bons funcionários. Esses gastos são fundamentais para que a sua empresa cresça e ocupe um lugar de destaque no futuro.

2. Não investir em marketing

Muitos empreendedores de primeira viagem acreditam que possuem produtos tão inovadores que podem confiar apenas na propaganda boca a boca.

No entanto, uma empresa que deseje prosperar precisa investir pesadamente em marketing para se tornar conhecida no mercado e se tornar a primeira escolha dos consumidores.

Um boa estratégia de marketing inclui SEO, marketing de conteúdo e campanhas de publicidade. Além disso, não deixe de verificar qual estratégia os seus concorrentes usam e pergunte-se como a sua empresa pode se destacar frente a eles.

3. Não estabelecer metas atingíveis

Novos empreendedores tendem a estar tão entusiasmados com uma “grande ideia” que acabam por se lançar no mercado sem um plano sólido.

Mas a realidade é que é preciso definir metas realistas e atingíveis para obter sucesso: estabeleça metas de curto e de longo prazo e como será possível atingi-las. Não diga apenas: quero vender um milhão de unidades do meu produto, defina uma estimativa razoável e as etapas necessárias para alcançá-la.

4. Pensar que é possível fazer tudo sozinho

Um dos erros comuns de empreendedores é pensar que ninguém pode fazer um trabalho tão bem quanto você. É claro que ninguém conhece melhor os produtos que a sua empresa vende e não há ninguém mais interessado em tornar o seu negócio um sucesso.

Mas, a realidade é que acumular funções não apenas te deixará exausto como também pode tornar o sucesso mais difícil de ser alcançado. Contratar colaboradores experientes ajudará sua empresa a encontrar novos caminhos e processos que farão com que ocupe rapidamente um lugar de destaque no mercado.

O que separa um grande empreendedor de um empreendedor mediano é sua capacidade de reconhecer erros, aprender com eles e se adaptar. E no cenário atual de startups competitivas, essa é uma das poucas, se não única, garantia de sucesso.

Gostou do conteúdo? Aproveite a visita para assinar a nossa newsletter e receba conteúdos como este diretamente na sua caixa de entrada!

Metodologias ágeis: o que são e como aplicá-las ao seu negócio

As metodologias ágeis promovem a interação contínua entre todas as etapas do desenvolvimento de um software. Nesse modelo, as atividades de criação e teste ocorrem simultaneamente, diferentemente do que acontece nos modelos tradicionais de trabalho.

metodologias ágeis

As metodologias ágeis surgiram em meados de 1990 e foram rapidamente difundidas entre as equipes de gestão e desenvolvimento de projetos. Elas operam a partir de conceitos inovadores como o planejamento adaptativo e times multidisciplinares e auto-organizados, voltados a melhoria contínua. 

Quer saber mais sobre o assunto? Nesse post vamos explicar quais são as principais metodologias ágeis e quais são os diferenciais da utilização desses modelos. Acompanhe!

Diferenciais da utilização das metodologias ágeis

Entre os benefícios da metodologia ágil podemos citar a possibilidade de customização e a evolução do projeto conforme as necessidades do cliente. Mas podemos citar ainda muitos outros benefícios. Quer saber mais? Continue a leitura!

Agilidade

Metodologias ágeis permitem que um projeto seja finalizado de com mais rapidez, uma vez esses modelos que exibem um ciclo de vida bastante reduzido quando comparados a outros métodos de gestão de projetos.

Isso quer dizer que soluções criadas a partir de metodologias ágeis podem ser entregues em pouco tempo. Isso garantirá que a empresa não sofra com os efeitos negativos de ter que adquirir soluções prontas para mitigar os efeitos de um projeto longo e demorado. 

Múltiplas entregas

As múltiplas entregas permitem que o cliente saiba como o software funcionará antes da entrega final.

Essa metodologia também permite que o cliente possa testar uma versão do software e assim verificar a existência de eventuais falhas, que poderão ser corrigidas imediatamente pelos desenvolvedores.

Participação no projeto

As metodologias ágeis garantem que o cliente participe ativamente do desenvolvimento do projeto. Isso possibilita que as solicitações e feedbacks sejam prontamente atendidos pela equipe.

Com isso, todo o processo tornar-se mais transparente. Também permite ao cliente uma visão bastante realista dos recursos que receberá.

Customização do projeto

Essas metodologias são altamente adaptáveis, ou seja, é possível customizar o projeto de acordo com as necessidades e preferências de cada cliente.

Quais são as metodologias ágeis mais usadas?

As metodologias mais usadas pelos projetos de desenvolvimento de software são a Ágile, o Scrum, o Lean e o Kanban. Conheça cada uma delas a seguir. 

Ágile

Criada em 2001 por um grupo de desenvolvedores, a Metodologia Ágile é focada nas necessidades dos clientes e visa entregar com rapidez e com maior frequência diferentes versões de um software para atender as suas necessidades.

Segundo essa metodologia, um software pode evoluir e mudar constantemente de forma dinâmica e flexível para atender as necessidades dos clientes e as demandas da sociedade. Isso garante que o produto entregue não se torne obsoleto.

Enquanto nos métodos tradicionais todas as etapas do desenvolvimento são documentadas detalhadamente, no método ágil esse processo é feito nas chamadas iterações, etapas curtas e interativas. As principais vantagens da metodologia são:

  • redução do tempo de desenvolvimento do software para algumas semanas, diferente do método tradicional que pode durar anos;
  • o software é entregue em subconjuntos que correspondem a algumas funcionalidades completas;
  • o projeto pode ser modificado e aperfeiçoado ao longo da etapa de desenvolvimento;
  • todas as etapas são desenvolvidas por equipes multidisciplinares;
  • o cliente participa de todas as etapas e o feedback é constante.

Scrum

O Scrum é um método de desenvolvimento ágil que pode ser aplicado tanto no desenvolvimento de softwares como na criação de equipes. Basicamente, o Scrum é uma estrutura que ajuda as equipes a trabalharem melhor juntas. 

Assim como uma equipe de rugby (de onde deriva o nome da metologia) treinando para o grande jogo, o Scrum incentiva as equipes a aprender por meio de experiências, a se organizarem enquanto trabalham em um problema e a refletir sobre suas vitórias e derrotas para melhorar continuamente.

Isso significa que o projeto passa por processos sucessivos de melhoria e refinamento e é entregue em subconjuntos funcionais. Todas as etapas do Scrum têm nomes específicos. As etapas de planejamento ocorrem em reuniões de equipe, chamadas de Sprints.

Esse planejamento visa reiterar a lista de funcionalidades pendentes, prática conhecida como product bocklog. Cada tópico se torna um Sprint, cujos detalhes são desenvolvidos no product backlog para o sprint backlog.

As atividades do sprint backlog são desenvolvidas em quatro semanas pelo Scrum Team. A sprint review meeting é a reunião que visa determinar se cada Sprint foi efetivamente realizado. Ao final de um Sprint, o próximo começa a ser planejado. Todas essas etapas de sucedem até a entrega do produto.

Lean

Entre as metodologias, a Lean se destaca por tornar os processos existentes mais ágeis e enxutos. É bastante utilizada em startups que buscam reduzir custos e aumentar a produtividade.

A Lean também possibilita a melhoria contínua e o compartilhamento de informações e processos.

Kanban

O Kanban tem origem japonesa e visa, principalmente, controlar fluxos de produção e transporte em uma indústria. Essa estrutura é bastante utilizada na etapa de teste de um software, especialmente no teste ágil.

Oferece inúmeras vantagens como a fácil visualização de cada etapa do processo e o maior controle do fluxo de produção. Além disso, o Kanban permite realizar o mesmo trabalho com estoque reduzido.

As metodologias ágeis estão cada vez mais presentes no dia a dia das empresas como parte de uma gestão de sucesso. Adotá-las é fundamental para que a sua empresa ocupe um lugar de destaque no mercado e se cada vez mais competitiva.

Agora que você já sabe o que são metologias ágeis, que tal descobrir quais as vantagens de um utilizar um software na nuvem?

Gestão de vendas: 5 Dicas para montar uma equipe de sucesso

O desafio de todo empreendedor é garantir que a gestão de vendas da sua empresa obtenha sempre os melhores resultados possíveis e torne o seu negócio cada vez mais relevante no mercado. No entanto, fazer como que os funcionários trabalhem em equipe e deem o melhor de si não é uma tarefa fácil. 

Para tornar essa integração mais fácil é preciso planejar todas as tarefas da equipe com antecedência e dividir  os funcionários por processos e por segmentos. Além disso, nada de contratar vendedores que tenham todos o mesmo perfil. 

Quer saber mais sobre o assunto? Neste post vamos explicar melhor como montar um time de vendas vencedor. Vamos lá? Acompanhe!

Gestão de vendas: 5 Dicas para montar uma equipe de sucesso

1. Planeje todas as tarefas da equipe com antecedência

Planeje todas as tarefas da sua equipe e monte um cronograma que inclua que o horário das pausas e das reuniões. Além disso, reserve um tempo para a resolução de problemas. 

A equipe de vendas da sua empresa deve cumprir esse cronograma, o que equivale a dizer que nenhuma tarefa pode ser adiada ou abandonada. Quando esse planejamento funciona, a gestão de vendas se torna muito mais ágil e garante que todos os funcionários cumpram as suas obrigações sem abandonar nenhuma tarefa. 

2. Selecione vendedores com perfis diferentes

Na hora da contratação, muitos empresários apostam todas as suas fichas nos vendedores mais experientes e ávidos por mostrar serviço. 

Mas será que montar uma equipe na qual todos os vendedores têm o mesmo perfil é mesmo uma boa ideia? Claro que não! Isso fará com que a sua empresa tenha que conviver com disputas constantes que  transformarão a sua força de vendas em uma guerra de egos.

Na verdade, a gestão de vendas da sua empresa deve contar com talentos que saibam trabalhar em equipe. Isso fará com que o negócio prospere e que o dia a dia da empresa se torne mais agradável.

gestão de vendas

3. Organize seus funcionários pelo processo de vendas

Um vendedor não deve fazer todo o processo de vendas. Além de ser desgastante, essa estratégia não garante bons resultados.

Como você sabe, cada um dos seus funcionários é melhor em uma determinada tarefa. Por que então desperdiçar o potencial que um vendedor exibe em uma determinada área alocando-o em outra onde não tem o mesmo aproveitamento?

Uma gestão de vendas eficiente deve contratar vendedores que atuem apenas em uma etapa da venda. Isso tornará toda a sua equipe mais eficiente e organizada.

Como fazer isso? Por exemplo, o melhor pós-venda, deve focar na fidelização, já o melhor negociador da equipe deve focar na gestão de prazos e preços. Isso tornará a sua equipe de vendas mais focada e garantirá melhores resultados.

4. Organize a equipe por segmento

Uma boa gestão de vendas também deve observar a divisão dos funcionários por segmento. Como você sabe, vender para empresas é diferente de vender para o consumidor final.

Por isso, o ideal é não usar a mesma equipe de vendas para esses dois segmentos, mas sim dividi-la e fazer com que cada equipe foque em um único segmento.

5. Padronize o processo de vendas da sua empresa

Um processo de vendas é um conjunto de etapas repetíveis que sua equipe de vendas deve executar para converter um possível cliente em potencial. Ter um processo de vendas padronizado permitirá que a sua empresa venda mais e exiba ciclos mais curtos.

Todas as etapas do processo de vendas devem seguir um roteiro que garanta que o objetivo de uma etapa seja, de fato, alcançado. Isso fará com que todo atendimento tenha o mesmo padrão, independente do funcionário que estiver atendendo o cliente.

Além disso, a gestão de vendas da sua empresa deve refinar continuamente seus processos com base em dados mensuráveis e feedback constante. Por exemplo, entender onde a maioria das suas transações empaca ajudará a identificar a causa raiz desses erros e permitirá tomar medidas para solucionar tal problema.

Agora que você já sabe como montar um time de vendas vencedor, que tal descobrir como funciona o funil de vendas?

 

Marketing de conteúdo: o que é e como aplicá-lo

O Marketing de conteúdo é uma estratégia de marketing focada na produção e distribuição de conteúdo relevante para o público-alvo de sua empresa. O conteúdo de qualidade focado em solucionar problemas, se torna o condutor para um relacionamento duradouro entre a empresa e os futuros clientes. Esta estratégia é um pilar importante de uma estratégia ainda mais abrangente chamada de inbound marketing ou marketing de atração.

Você deve estar pensando: mas porque devo utilizá-lo na minha empresa? A resposta é muito fácil! Utilizando essa ferramenta em seu negócio você atrai a atenção e o interesse de pessoas, fazendo elas criarem um envolvimento com a sua marca e verem valor no seu negócio. Consequentemente, resultando em uma imagem positiva da sua empresa e gerando mais vendas. Por isso, com certeza vale muito a pena! E mais, seguindo essas dicas você pode começar ainda hoje.

Quais são os objetivos do marketing de conteúdo?

O marketing de conteúdo pode ter diversos objetivos, mas dois deles têm papel chave para uma execução de forma eficaz. E são eles:

Vendas: Definitivamente toda empresa precisa crescer! Este crescimento não acontece sem um volume adequado de vendas. Este deve ser o principal objetivo de qualquer estratégia de marketing. A estratégia de conteúdo contribui significativamente no novo processo de venda que vivenciamos atualmente. Para vender, todo negócio precisa estabelecer um relacionamento com seus clientes, por conta disso, empresas que agregam valor na vida das pessoas tendem a ser lembradas no momento de uma pesquisa. Consequentemente, lembradas também no momento de compra! 

Ser uma empresa referência e com autoridade no seu setor tem total impacto no volume de suas vendas. Seu conteúdo pode e deve ser usado diretamente na geração e nutrição de leads. Em cada uma das fases que ele passa antes da decisão de compra, deverá ser nutrido com conteúdos de valor. Do mesmo modo,  em sua base de clientes um conteúdo informativo,por exemplo, falando sobre seus valores, novos produtos ou lançamentos, também pode ser utilizado para realizar mais vendas para quem já é cliente.

Valorização da Marca: O que sua marca significa para o público? Ao que está relacionada a sua empresa? São perguntas que você deve responder todos os dias. A comunicação de sua empresa e seu posicionamento como marca é um trabalho de construção. O marketing de conteúdo é a ferramenta perfeita para mostrar os seus valores, a cultura de sua empresa e a forma que trata seus clientes. Espelhar a relação que o público alvo terá quando se tornar seu cliente irá aumentar o reconhecimento de sua marca e também conquistar muito mais que clientes, mas “advogados” da sua marca.

Formatos: Como colocar o marketing de conteúdo em ação

Para alcançar o seu público você precisará de muita criatividade. A forma mais prática de se aplicar estratégias de marketing é através da internet. Isso já sabemos. A vantagem disso é poder utilizar todas as ferramentas e oportunidades que ela nos proporciona. No seu negócio você pode aplicar alguns destes 5 formatos que abordarei abaixo, vamos lá?

Redes Sociais

A sua empresa precisa estar onde as pessoas estão. Onde o público gasta mais tempo no dia a dia? Essa é fácil: nas redes sociais. A sua empresa precisa gerar conversas, propondo uma relação além de “Cliente x Empresa”. É importante lembrar que cada rede social tem uma “linguagem” diferente. Por exemplo em o Linkedin é uma comunidade profissional, lá você pode fazer muito networking e gerar parcerias estratégicas para o seu negócio. Já o Twitter tem um tom mais informal, com conteúdo noticioso, desse modo, demanda mais velocidade nas informações. Cada rede, tem sua peculiaridade e também agrega valor para seu negócio de forma diferente.

Blog corporativo

O blog ainda é uma ferramenta essencial de estratégia de marketing para empresas, ao contrário do que muitos pensam. Com o Blog você ganha autoridade no ambiente digital através do seu site. O maior site de buscas do mundo, o google, dita as regras sobre quais são os melhores sites que devem ser acessados por pessoas interessadas nas buscas. Se você apresenta conteúdo relevante para o seu público alvo, mais pessoas irão acessar e conhecer a sua empresa. Você pode criar materiais educativos, informativos e também para vender o seu produto ou serviço e gerar leads.

E-books

Os e-books ou livros digitais se enquadram na categoria de “conteúdos ricos”. É a forma mais popular entre as empresas que investem neste tipo de marketing quando seu foco é a geração de leads. Este formato de conteúdo tem como objetivo pontuar um problema específico que os leads têm. Os livros digitais possuem uma média de 2000 a 3000 palavras, e também podem chegar a altos níveis de profundidade. No quesito visual, também tem como objetivo facilitar a leitura e ser mais dinâmico.

Na Mainô temos alguns e-books, por exemplo o guia de importação e o checklist documental na importação.

Guia de importação - Marketing de conteúdo

Cases de sucesso 

Quem não gosta de ouvir uma boa história? Conhecer os bastidores e a real transformação que seus clientes vivenciaram é uma excelente forma de sua empresa se conectar com seu público. Isso mostra o papel ativo e a preocupação com os resultados dos seus clientes, além de gerar confiança e transmitir uma grande prova social para quem ainda está na fase de pesquisa e/ou ainda está decidindo a compra.

Webinários

Nada mais são do que videoconferências cuja a comunicação visa tirar dúvidas e solucionar as dores do seu público alvo em tempo real ou em material gravado. Essas “palestras online” são um excelente ponto de contato direto com as pessoas que ainda estão em dúvida sobre como utilizar o seu produto ou serviço. Caso seja ao vivo, tem acesso via chat e pode fazer perguntas em tempo real.

Custo benefício do marketing de conteúdo: vale a pena investir?

Pode se dizer que o marketing de conteúdo é democrático. Existem diversas possibilidades para aplicação no seu negócio. O conteúdo exige alguns fatores como consistência e qualidade, afinal de contas, a competição por futuros clientes é grande. Existem diversas opções para se investir na estratégia de conteúdo. Você pode optar por acelerar o seu processo com tráfego pago investindo em anúncios, por exemplo. Porém, existem alternativas muito mais baratas como o blog, onde basta você se dedicar de médio a longo prazo que certamente verá resultados tangíveis. 

 

Despachante Aduaneiro 4.0: o futuro do Comex

Aconteceu no dia 26 de julho de 2019 no SINDAERJ, o movimento que certamente irá revolucionar o Comex. Com os olhos voltados para a inovação, utilização das novas tecnologias e um posicionamento consultivo nasce o Despachante Aduaneiro 4.0.

Comércio Exterior 4.0

Problemas como o excesso de burocracia e processos operacionais antiquados, estão deixando de fazer parte de diversos negócios, no Comex não seria diferente. Deste modo, as transformações vindas a partir da indústria 4.0 são as grandes  aliadas para a modernização e simplificação dos processos de comércio exterior. Marcadas pela automação, integração de dados e computação em nuvem, estas iniciativas fazem parte da crescente inovação e formam o Comex 4.0.

Antes as importadoras, exportadoras e distribuidoras, necessitavam de soluções para problemas do dia a dia do negócio, com a criação de startups para esse setor, hoje já vivenciam o impacto positivo dessas mudanças no setor. 

Despachante Aduaneiro 4.0: um agente de soluções

O Despachante aduaneiro é um agente fundamental para a implementação das mudanças que a tecnologia traz consigo. Portanto, se antes o seu papel era apenas fazer os “desembaraços” e realizar a burocracia que a empresa não deseja resolver, hoje os softwares de gestão e automatização dos processo, potencializam a atuação deste profissional no mercado de consultoria aduaneira, como foi declarado no evento. Confira as fotos neste link

Mesmo com a inovação tomando conta de todo o mercado,  ainda existem profissionais que não se atualizam.

O resultado disso é que estes profissionais dependem de força operacional, realizam tarefas manualmente, com potencial margem de erro.

Despachante Aduaneiro 4.0: consultores Aduaneiros

O Despachante Aduaneiro deve se tornar um consultor de processos de importação. Prevendo futuros problemas e resolvendo os gargalos da operação interna do cliente. Consequentemente, para quem enxerga oportunidades, a tecnologia é este elo de otimização entre o despachante aduaneiro e o cliente. Segundo Eduardo Ferreira, CEO da Mainô, as soluções tecnológicas auxiliam o profissional a desenvolver esse aspecto consultivo. Uma empresa que possui um ERP como o Mainô, em conjunto com seu despachante, consegue emitir uma nota fiscal de importação em apenas 2 minutos, o que normalmente é algo que levaria algumas horas. Desta forma, ela otimizará o tempo criando um ambiente mais produtivo e um negócio mais lucrativo. 

A Mainô, líder em soluções tecnológicas para empresas de Comex,  distribuidores e indústrias, apoiou diretamente o movimento. Em parceria com Célia Regina, Diretora da Worldgate Cargo e Presidente do Sindaerj e Carlos Araújo, Despachante Aduaneiro e fundador do comexblog, foi dado o pontapé inicial junto a essa nova visão latente em meio aos profissionais de despacho aduaneiro. 

Despachantes 4.0

O profissional que se atualiza utilizando a tecnologia amplia a forma que conduz seus processos. Da mesma forma, sistemas de gestão podem ser utilizados em outros setores da empresa. Vale muito conhecer soluções tecnológicas que entendem a evolução do Comex. 

Use a tecnologia a favor do seu negócio

Existem diversas opções de sistemas de gestão mas poucas focadas em comex. Por outro lado, problemas comuns vivenciados por empresas de Comex como a substituição tributária e a nota de importação podem ser resolvidos de forma rápida. Imagine o monitoramento das NCMs de mercadorias com notificações automáticas de todas as alterações tributárias e a emissão de uma NF-e de entrada de importação, em apenas 2 minutos? Certamente, com a tecnologia de softwares como o Mainô isso é possível.