Ícone do site Blog Mainô

Como importar da China: entenda o processo

Não é mistério para ninguém o papel de fábrica do mundo desempenhado pela China atualmente. Ao conferir produtos diversos, de simples objetos de plástico, como potes, brinquedos, enfeites de Natal, até máquinas e eletrônicos, nos deparamos com o tão famoso Made in China.

Se, há uns anos, os bens fabricados e exportados pela China se resumiam a imitações ou objetos baratos, hoje, vinte anos após a entrada do país na OMC, a China se tornou um centro de inovação e qualidade tecnológica. Marcas como a Huawei e a Xiaomi se tornam cada vez mais populares no mercado Ocidental, sendo símbolos de inovação, qualidade e bom preço. 

Gigantes do varejo como a Aliexpress e a Shein também se popularizaram fortemente no mercado ocidental, inclusive no brasileiro, com sua diversidade de produtos a preços baixos. Neste cenário, podemos dizer que os consumidores ocidentais já estão familiarizados com os bens produzidos pela China, presentes em diferentes aspectos e ambientes do dia a dia. 

Importar da China se tornou, neste contexto, uma importante estratégia de negócios adotada por diversos tipos de empresas. Seja na importação de máquinas e equipamentos para a indústria de base, seja na importação de tecnologias de ponta, como no setor fotovoltaico, ou mesmo de bens de consumo para a revenda, muitas empresas enxergam e fazem da importação de produtos chineses o ponto central do seu desenvolvimento.

Você não vai querer ficar de fora, não é? Então confira nosso artigo e entenda melhor como importar da China, inteirando-se sobre o processo, a motivação, os principais produtos, as vantagens e os desafios dessa empreitada.

    Importando da China: passo a passo
      Tenha um CNPJ
      Possua uma Habilitação no RADAR/Siscomex
      Defina o tipo de importação: Direta ou Indireta
      Escolha bem os seus fornecedores
   Por que importar da China?
   Conheça o que importar da China
   Principais pontos de atenção do processo
   Saiba mais sobre importação de produtos!

Importando da China: passo a passo

Como consumidores, já estamos familiarizados com a compra de produtos chineses, nos sites já mencionados como a Aliexpress e a Shein. No entanto, a importação com fins comerciais se distingue fundamentalmente da importação para consumo próprio. Os sites mencionados acima não são uma boa alternativa para uma empresa que deseja, por exemplo, revender produtos chineses. Então como importar da China? Abaixo trataremos dos pontos principais do processo:

Parece bobeira, mas é importante reforçar que um CNPJ, mesmo de MEI, é essencial para realizar operações de comércio exterior de forma legal. Desta forma, eventuais impostos e taxas inerentes ao processo de importação serão recolhidos corretamente, sem o risco de uma sanção pelo governo.

Outro ponto que pode parecer óbvio para quem já atua no comércio exterior é a habilitação no RADAR/Siscomex. Mas, se você está iniciando suas operações internacionais, saiba que a habilitação é obrigatória para operar no comércio exterior. Essa habilitação deve ser feita no RADAR (Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros), que centraliza todas as informações referentes ao Comex.

Um ponto fundamental que definirá a sua jornada na importação é se você importará diretamente do fabricante ou se buscará uma trading, uma intermediária para o processo de importação. Ambas as opções possuem seus benefícios e seus desafios:

Se a sua intenção for criar um e-commerce de revenda de produtos chineses, uma outra opção é a realização do dropshiping. Por meio do dropshiping, você negocia diretamente com o fornecedor, que te vende o produto por um preço x. Você anuncia o bem em seu e-commerce por um preço y, incluindo seu lucro e custos logísticos, e a mercadoria será enviada ao seu cliente diretamente pelo seu fornecedor. Isto é, você negocia com o fornecedor, faz a compra e revenda do item, mas não precisa de estoque, uma vez que o produto é enviado diretamente ao consumidor. No entanto, nessa modalidade, vale a pena negociar a customização da embalagem, de forma que a sua marca não perca valor.

Um ponto essencial e muito delicado ao se pensar em como importar da China é justamente a análise e escolha dos fornecedores. Muitas vezes a distância geográfica, as diferenças culturais e as barreiras linguísticas são encaradas como um entrave nesse processo, mas não é bem assim. Atualmente, é possível pesquisar e se conectar com fornecedores do mundo todo e o início desse processo consiste na pesquisa pela própria internet. A dica é: use os grandes sites B2B chineses a seu favor, como o Alibaba e o Made in China.

Nesses sites você terá acesso a uma gama de fabricantes dos mais diversos produtos. Lembre-se, encontrar fornecedores confiáveis pode ser o ponto central no sucesso da sua empreitada, então atente-se às documentações legais que podem ser exigidas para o produto desejado, como licenças e certificações de qualidade, de acordo com a NCM relacionada. Além disso, conheça bem a capacidade de produção do fornecedor, prazo de entrega e demais aspectos que podem influenciar a compra.

Por que importar da China?

Sabemos que a importação pode ser onerosa, devido aos impostos, custos logísticos e burocráticos. Dependendo do produto, o valor pode até dobrar em razão das tarifas. Apesar disso, importar da China pode trazer muitas vantagens para a sua empresa. Confira algumas delas:

Desta forma, apesar dos custos e do tempo de importação, importar da China pode ser uma estratégia importante no desenvolvimento da sua empresa e na ampliação dos seus negócios.

Conheça o que importar da China 

Já sabemos que o país é o maior centro de produção de bens do mundo. Também já vimos as principais etapas sobre como importar da China, além das suas vantagens. É interessante, também, conhecer quais são os principais produtos chineses importados pelo Brasil:

  1. Equipamentos de telecomunicações;
  2. Tubos e válvulas termiônicas;
  3. Plataformas e estruturas flutuantes;
  4. Compostos organo-inorgânicos;
  5. Demais produtos – Indústria de Transformação;
  6. Máquinas e aparelhos elétricos;
  7. Aparelhos elétricos para ligação;
  8. Peças e acessórios para escritório;
  9. Medicamentos e produtos farmacêuticos, exceto veterinários;
  10. Máquinas de energia elétrica.

Nessa listagem, destacamos a presença dos equipamentos e acessórios eletrônicos, assim como insumos para a indústria, de base e setorial, como a farmacêutica, além de produtos de papelaria, exemplificando a diversidade do mercado chinês e as múltiplas oportunidades de negócios existentes.

Principais pontos de atenção do processo

Ao longo desse artigo, abordamos alguns pontos importantes no que se refere a como importar da China: o processo, as vantagens e os produtos mais importados pelo Brasil. Alguns pontos merecem destaque e atenção do empresário:

Esses pontos merecem especial atenção ao se considerar importar da China e demais países. Esteja atento a esses fatores de forma que sua operação não seja prejudicada.

Saiba mais sobre importação de produtos!

Importar da China, como vimos, pode ser o ponto de virada no sucesso da sua empresa. Internacionalizar sua empresa por meio da importação possibilita a diversificação de seus bens e serviços, ampliando seus negócios.

Se interessou pelo processo de importação e quer saber mais? Então confere nosso guia definitivo para importar produtos!

Sair da versão mobile