Exportação e importação por remessa expressa: Entenda esta modalidade!

Tempo de Leitura 3 Minutos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Quem trabalha com comércio exterior, ou até mesmo quem tem o hábito de comprar produtos importados, sabe que este processo muitas vezes pode ser bastante longo e trabalhoso. Dependendo do país e da distância geográfica desta transação, chega a levar meses até que tudo seja concluído. Para evitar estes transtornos, alguns importadores e exportadores optam pela remessa expressa. 

Esta é uma modalidade que simplifica muito as coisas para importação e exportação, no que diz respeito a tempo e burocracias. A remessa expressa é a modalidade de encomenda internacional que conta com o transporte aéreo, diferente da grande maioria, que conta com transporte por navio ou estrada. 

Quais são as vantagens dessa modalidade?

  • Redução de burocracia
  • Agilidade nos processos
  • Tributação simplificada (RTS)
  • Produtos importados não sofrem tributação

Na remessa expressa a grande característica é a rapidez e o recebimento imediato. Isso porque toda parte burocrática é feita por empresas de transporte expresso internacional, conhecidas como “courier”, que cuidam de toda a logística necessária. Ou seja, nos casos de remessa expressa, a logística não é feita pelas empresas públicas de correios, como quando a encomenda é remessa postal, por exemplo.

Em quais situações posso exportar e importar por remessa expressa?

A modalidade de remessa expressa para importações realizadas por pessoas físicas permite que sejam importados alguns tipos de produtos. Livros e materiais de leitura sem finalidade comercial, documentos e bens de até 3 mil dólares, ou o valor equivalente em outra moeda, são permitidos. Estes ítens não devem possuir destinação comercial e, podem ser recebidos por pessoa física. 

Mesmo que a importação seja feita por uma empresa, o limite de valor da mercadoria ainda deve ser de 3 mil dólares e, a mercadoria não pode servir para revenda. Este é um ponto muito importante, que deve ser levado em consideração pelo importador, para que não ocorra problemas futuros.

Já nos casos de exportação, a única diferença está no valor que se pode exportar. Assim, é permitido exportar produtos no valor limite de 5 mil dólares, mas é importante estar atento à frequência desta transação, para que não se configure uma operação comercial. 

Powered by Rock Convert

Como realizar uma remessa expressa?

Antes de tudo, para que uma pessoa física ou jurídica escolha usar esta modalidade, é necessário que se tenha um registro e uma autorização concedida pelos órgãos responsáveis. Então, após a resolução deste primeiro passo, para realizar uma remessa expressa, é preciso apresentar alguns documentos, como:

  • CPF ou CNPJ do responsável pela transação
  • Conhecimento de carga embarcada, para importação
  • Conhecimento de transporte internacional, para exportação
  • Nota fiscal e fatura comercial para empresas que realizarem exportação
  • Finalidade da exportação ou importação 
  • Informações sobre o produto.

Para ter acesso e cumprir as exigências encaminhadas pela Anvisa na modalidade remessa expressa, é só consultar o sistema Siscomex Remessa. A exigência fica inserida no sistema e pode ser consultada pela empresa de caurier responsável pelo transporte. Assim, para cumprir a exigência, você deve protocolar uma petição secundária de aditamento. Além disso, é necessário anexar a documentação ou carta que conta com os esclarecimentos solicitados pelo sistema. 

Remessa Expressa ou Formal: Como escolher a melhor opção?

Para que esta escolha seja assertiva, é importante que você calcule o custo da importação ou exportação expressa e compare com o cálculo do custo da importação ou exportação formal. Isso porque são muitos os fatores que devem ser levados em consideração. 

Dessa forma, é necessário entender se você está obtendo vantagens ou apenas acumulando mais custos, analisando o cenário completo e levando em consideração todos os fatores envolvidos.

É importante levar em consideração:

  • Custo do Produto (VMLE)

  • Impostos e outras taxas

  • Custo de Serviços Acessórios

  • Custo da regulamentação

Saiba as diferenças entre essas duas modalidades e entenda como calcular os custos de cada uma delas neste artigo do blog!

E aí, deu pra entender melhor como funciona a modalidade de remessa expressa? Compartilhe este conteúdo com algum amigo empreendedor!

Ebook incoterms 2020Powered by Rock Convert

Não esqueça de compartilhar esse post!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no print
banner news

Siga a Mainô nas redes

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Obrigado por se cadastrar!