Fim dos boletos sem registro: mais segurança nas transações

Tempo de Leitura 2 Minutos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Recentemente a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) anunciou a criação de uma Nova Plataforma de Cobranças como solução ao fim do boleto sem registro, assunto que tem sido muito discutido entre empreendedores e instituições de pagamento em todo o país. O impacto é sentido diretamente nas vendas online, já que o segundo meio de pagamento mais utilizado ainda é o boleto.

Segundo dados da Febraban, em 2016, o boleto sem registro representavam 40% dos boletos emitidos no Brasil nas transações online. Este cenário vai mudar até o final de 2017, pois esta modalidade deixará de existir. Neste tipo de transação, o boleto não tem a obrigatoriedade de ser registrado em um sistema bancário, nem especificar valor, data de vencimento e não exige pagamento exclusivo em um determinado banco.

Este meio de pagamento ainda é o mais usado pelos brasileiros e empresários de diversos setores estão preocupados com os encargos provenientes da adoção dos boletos registrados.

Mais segurança nas transações

Há uma carga muito maior de segurança nas transações, todas são rastreadas. Assim que um boleto registrado é emitido, o banco recebe imediatamente um arquivo digital com todas as informações que levam à identificação da empresa ou pessoa que rezará o pagamento do boleto (CPF ou CNPJ, endereço, valor da cobrança, data de pagamento e instruções de encargos em caso de atraso).

Acabar com a modalidade dos boletos sem registros é uma medida que a Febraban está tomando para frear os altos índices de fraudes nas transações, principalmente nas vendas online. Segundo a instituição, o uso de código de barras para realizar pagamentos é utilizado desde os anos 90 e era necessário fazer mudanças por conta das novas tecnologias que podem tornar as cobranças mais seguras. No modelo registrado, os empresários conseguem saber mais facilmente os boletos emitidos, quando o cliente pagou e o que pagou (produto ou serviço).

Facilidade no dia a dia

A Mainô oferece uma solução para facilitar as operações de empresas que qualquer porte, que une a praticidade do boleto sem registro à segurança do boleto registrado. Com o Traxo, o cliente não precisa de uma carteira de cobrança nem passar pelo lento processo de homologação com o banco. A geração do boleto acontece de forma simples através da criação de uma conta de pagamento específica. Desta forma, o cliente paga o boleto e em dois dias o empresário recebe o dinheiro, já descontada a tarifa que é mais baixa que os valores praticados pelos bancos e pode excluir ou alterar boletos sem custos adicionais.

O sistema é seguro. Os boletos são gerados através do PJBank, que é uma instituição de pagamento do grupo Superlógica. No credenciamento, é criada uma conta de pagamento com seu CNPJ, e o dinheiro não trafega por qualquer outra conta. Esse tipo de conta é regulamentado pela lei 12.865 de 2013. Esta legislação obriga empresas como o PJBank manter garantias reais, depósitos compulsórios e seguir padrões de segurança e mitigação de riscos.

Ah, sem falar que acabou a tarefa trabalhosa de enviar e receber arquivos de remessa. Tudo é automático. O cliente pagou, o sistema dá baixa diretamente.

 

Powered by Rock Convert

Não esqueça de compartilhar esse post!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no print
banner news

Siga a Mainô nas redes

Deixe um comentário

  Subscribe  
Notify of

Obrigado por se cadastrar!