Trabalha com importação? Conheça os serviços de Inspeção

Serviços de inspeção são serviços contratados pelo comprador onde uma empresa isenta (que não seja ligada ao ser fornecedor) vai enviar um funcionário ao fornecedor para checar alguns pontos de controle acordados. Uma empresa de inspeção profissional já tem um checklist criado a partir da sua própria experiência, mas você ainda pode personalizar e incluir novos pontos de controle.

Serviços de inspeção são muito importantes, especialmente para quem está começando a importar, ou quando inicia-se o trabalho com um fornecedor novo. Basicamente, servem para dar a certeza de que tudo o que foi negociado está sendo cumprido. Ele praticamente garante (nenhum serviço é 100% seguro) que as informações passadas pelos fornecedores são verídicas.

A inspeção substitui a visita presencial. Dependo do volume da importação, se você quiser fazer uma viagem pra China, é muito bom, mas também muito caro.

A inspeção pode ser feito de duas formas:

  • Empresas de auditoria ou inspeção profissional;
  • Freelancers ou pessoas de sua confiança.

Caso opte por realizar a inspeção com um freelancer, saiba que ele precisará receber mais informações sobre os pontos de controle. Geralmente estes possuem menor experiência. Numa inspeção profissional o relatório costuma ser melhor e mais detalhado.

Pontos de controle

Afinal, quais pontos de controle devem ser inspecionados? Vamos ao checklist:

  • Certificar-se que a fábrica existe (sim, golpistas existem);
  • A fábrica tem os registros e certificados padrões chineses para operar;
  • O número de funcionários compatível com a capacidade produtiva informada;
  • Possui maquinário compatível com a capacidade produtiva informada;
  • A fábrica é limpa e organizada;
  • Possui capacidade de produção e entrega;
  • O produto final atende às especificações técnicas;
  • Você ainda pode adicionar ao checklist padrão itens personalizados, como por exemplo: Possui clientes no Brasil.

Inspeções tradicionais x inspeções acreditadas

Como já percebemos, as inspeções tradicionais são realizadas basicamente para dar mais segurança ao comprador. Mas em alguns casos o órgão regulador brasileiro pode exigir um certificado de inspeção. Nesse caso, devemos utilizar inspeção acreditada.

Inspeção acreditada é quando o certificado de inspeção emitido pela prestadora do serviço serve como válido pelo órgão certificador no Brasil. Como o próprio nome sugere, nas inspeções acreditadas o órgão fiscalizador acredita no laudo do inspetor.

Por exemplo, se você vai importar brinquedos, o INMETRO já possui um padrão de pontos de controle que devem ser checados. Esses pontos são definidos pelo INMETRO, e não por você. Nesse caso, a prestadora de serviço que vai inspecionar, precisa emitir um certificado de acreditação do INMETRO brasileiro. Se você contratar uma empresa que não possui esse certificado, o INMETRO não acreditará no laudo dessa empresa.

Tipos de inspeção

Existem diversos tipos de inspeção que podem ser contratados. As mais comuns são:

Auditoria de fábrica: É a primeira auditoria e deve ser feita antes de enviar qualquer remessa de dinheiro ao fornecedor. Ela verifica itens de controle básicos, por exemplo: Se a fábrica existe, se possui todos os certificados, e se a documentação está em dia.

Dica: Pode ser que a fábrica não aceite a inspeção. Nesse caso, é melhor cancelar o negócio. Uma empresa profissional aceita inspeção, pois entende que é parte do processo. Se a fábrica pedir 30% antes de aceitar a auditoria, tenha quase certeza de que é uma fraude. Geralmente o fato de a fábrica aceitar a inspeção já implica em uma grande redução do risco da operação.

Inspeção pré-embarque: Nesse tipo, o inspetor verifica o seu lote de produto pronto (ou pelo menos 80% pronto). O objetivo é realizar testes técnicos, por exemplo, de espessura, gramatura, e outras especificações. Geralmente é feita antes de pagar os últimos 70% da fatura. As inspeções também podem tirar fotos, gravar vídeos do produto e até enviar uma amostra em via aérea para o Brasil.

Existem também outras inspeções não tão comuns. São elas:

Inspeção de carregamento: É uma inspeção importante, mas não muito utilizada. Serve para acompanhar a carga até o lacre do container. O objetivo é garantir que todas as caixas serão embarcadas corretamente. Como essa inspeção é feita quando a fatura já está liquidada, muita gente prefere não fazer. Acontece que quando a mercadoria é frágil ou quando as condições de transporte são importantes, pode ser necessário verificar como essa mercadoria está disposta no container para evitar surpresas desagradáveis.

Auditoria social: Essa é mais rara, mas considero muito importante para construção de uma marca sólida no mercado. É solicitada para saber se na cadeia de produção não há trabalho infantil, trabalho escravo ou análogo, como carga horária abusiva.

Inspeção de fabricação: É possível inspecionar o produto durante a fabricação. Não é muito usada para produção em lote, mas é muito útil para produção contínua. Se a fábrica sempre produz para você, essa inspeção é uma boa ferramenta para gestão da qualidade do produto.

Quanto custa uma inspeção?

Normalmente, um serviço de inspeção custa em torno de 300 dólares. Dependendo de alguns fatores pode variar, como o tipo de inspeção, a região onde a fábrica está localizada, e etc. Por isso, é importante sempre buscar mais de uma cotação.

Algumas empresas são bastante conhecidas inclusive é possível visualizar os valores e serviços em seu site. São elas:

Já realizou estes serviços em suas importações? Compartilhe sua experiência nos comentários.

E-book de Câmbio: Importância, Fundamentos e Funcionamento

As constantes revoluções científicas e tecnológicas ao longo da história deram um destino certo para as moedas: poupar trabalho humano, elevar a produtividade e melhorar o bem-estar social.

A Análise Econômica Consultoria, em parceria com a Mainô, preparou este e-Book com o que há de mais relevante sobre o câmbio: a sua importância, alguns de seus fundamentos e o funcionamento do mercado.

 

ebook cambio

Confira o que irá encontrar no e-book:

  • Conceitos Relevantes: Divisas, câmbio, taxa de câmbio e sistemas cambiais.
  • Estrutura e Funcionamento do Mercado: Instituições, players, contratos e cotações.
  • Câmbio na prática e planejamento: Desenvolvimento econômico, consultorias econômicas especializadas e relação efetiva de troca entre diferentes países.

O MBC 3ª edição foi um sucesso

No último dia 16, aconteceu a 3ª edição do Mainô Business Conference (MBC) e foi um verdadeiro sucesso. Lembrar que o MBC foi pensado inicialmente como um café para empresários a fim de debater assuntos sobre gestão empresarial e hoje tomou essa proporção nos dá um orgulho imenso.
Continue reading “O MBC 3ª edição foi um sucesso”

O que é logística e qual sua importância para o comércio exterior?

Você sabe o que é logística? Trata-se de um dos assuntos que levanta mais dúvidas nos empreendedores quando falamos sobre comércio exterior. A complexidade no transporte das mercadorias já é grande dentro do território nacional e operações de importação e exportação adicionam ainda mais complexidade aos processos.

Uma empresa que deseja alcançar bons resultados precisa otimizar a gestão do estoque, certo? Entretanto, esse procedimento se torna mais difícil quando não existe uma previsibilidade exata sobre a chegada das mercadorias importadas e os custos totais da operação ainda são desconhecidos. 

Para evitar essas complicações é importante conhecer mais sobre o que é logística. Neste artigo veremos um pouco mais sobre o assunto.

O que é logística internacional?

Todas as empresas que lidam com comércio exterior sabem como pode ser complexo operacionalizar a importação ou exportação de produtos. Além do risco do aumento do tempo de deslocamento das mercadorias, existem diversos trâmites burocráticos que tornam ainda mais demorados os fluxos de operações.

A logística internacional é uma área estratégica que lida com as ações externas da empresa, procurando estruturar melhor os processos e melhorar o relacionamento com os parceiros comerciais. Isso é fundamental para tornar toda a empresa mais eficiente – refletindo desde a gestão do estoque até os resultados financeiros.

A importância da logística para empresas de comércio exterior

A preocupação contínua em otimizar os processos de logística em empresas de comércio exterior é fundamental para o desenvolvimento das suas operações de forma cada vez mais previsível, com menos custos e riscos. Quando as operações não funcionam corretamente, pode ocorrer um impacto negativo para a empresa. Esse impacto pode representar não apenas prejuízo financeiro na operação, mas um desgaste na imagem da empresa com seus clientes e outros stakeholders.

Muitos empresários pensam o que é logística somente como transporte de mercadorias. Entretanto, o assunto é muito mais amplo. Na área comercial da Mainô, por exemplo, ajudamos diariamente empresários que tiveram desgastes com clientes devido a demora na emissão de notas fiscais. Apesar de se tratar de um assunto fiscal, uma mercadoria não pode ser transportada do ponto A para o ponto B sem a NF-e. Dessa forma, ter um software de emissão de notas fiscais que minimiza o tempo gasto deve sim ser uma preocupação da área de logística.

emita sua nf-e de importação em 2 minutos agora!

Veja alguns dos fatores que comprovam a importância da logística para as empresas de comércio exterior:

  • Organização interna da empresa: o domínio sobre o que é logística permite que todos os setores da empresa estejam preparados para encarar os procedimentos necessários, evitando perda de tempo, desperdício de recursos e outros transtornos que poderiam surgir.
  • Economia de recursos da importação: compreender todos os procedimentos da importação de produtos permite que você tome as melhores decisões e poupe dinheiro.
  • Melhoria da relação com parceiros: negociar preços e prazos benéficos para ambas as partes é uma ótima forma de melhorar o relacionamento com os seus parceiros de importação.
  • Redução de erros no comércio exterior: por conta de toda a complexidade envolvida no comércio exterior, podem ocorrer muitos erros no meio do percurso. A logística garante que você tenha domínio sobre todo o processo de transporte das mercadorias até a sua empresa.
  • Gestão do estoque: com o aumento da previsibilidade de custos e prazos, a gestão do estoque também fica facilitada, aumentando a qualidade das informações.

Dicas para melhorar a logística internacional

Para as empresas importadoras que desejam melhorar seus processos de logística, é possível alcançar uma melhoria no desempenho seguindo as seguintes dicas:

  • Compreenda as normas de negociação: é preciso que você conheça as normas de negociação vigentes no país da empresa exportadora para que você saiba exatamente o que esperar da operação, incluindo obrigações e custos que você poderá arcar.
  • Conheça os seus fornecedores: se já é importante conhecer a fundo quem são os seus fornecedores brasileiros, descobrir mais sobre os seus fornecedores estrangeiros é fundamental. Busque informações sobre a sua reputação, mercadorias oferecidas, preços praticados, prazo para entrega, condições de pagamento, entre outras que possam ser úteis.
  • Conheça a cultura local: Compreender a forma com que os fornecedores negociam e lidam com a construção de relacionamentos comerciais é fundamental para estabelecer relações duradouras. Parte dessa compreensão vem do estudo da cultura e costumes locais.
  • Avalie o melhor método de transporte: faça uma boa avaliação sobre a melhor forma de transporte das suas mercadorias, pensando no processo de logística como um todo, até que os produtos estejam na sua empresa. Analise custos, prazos de entrega e eventuais problemas que poderiam inviabilizar a operação.

Ampliou seu conhecimento sobre o que é logística e sua importância no comércio exterior? Se você deseja conferir mais informações úteis como essa, deixe o seu comentário!

Importação de autopeças: Tudo que você precisa saber

A importação de autopeças atrai a atenção de muitas empresas, mas também é um procedimento que desperta muitas dúvidas nos empreendedores. Será que esse realmente é um negócio rentável? E quais são as exigências legais que devem ser respeitadas nessas operações?

Segundo dados da Sindipeças (Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores), o setor de autopeças mostrou um grande crescimento ao longo de 2017 – alcançando um aumento de 17% no faturamento líquido durante o primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2016.

É esse cenário positivo que atrai a atenção das empresas para esse segmento e gera o interesse pela importação de autopeças. Neste artigo veremos tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Confira.

Peças importadas vs nacionais: vantagens e desvantagens

A primeira dúvida que surge quando falamos sobre a importação de autopeças é: realmente vale a pena investir na importação ou é melhor apostar nas peças nacionais? Para ajudá-lo na sua análise, vamos destacar os principais pontos de vantagens e desvantagens:

  • Importar autopeças pode sair mais barato. Algumas peças importadas podem sair até 80% mais baratas do que as peças vendidas dentro do Brasil – gerando uma grande economia que se converte em lucro após a venda para o consumidor. 
  • É necessário dar atenção à burocracia da importação. Por outro lado, a importação de um produto requer grande atenção com impostos e burocracias que devem ser respeitadas ao longo do procedimento.
  • O mercado nacional é mais acessível. Se você busca por agilidade na obtenção das peças, o mercado nacional pode ser mais vantajoso. Afinal, a importação de um lote de autopeças pode levar um tempo maior para chegar ao Brasil e passar por toda a burocracia necessária.
  • Importação requer mais planejamento. Como consequência da burocracia que envolve a importação de autopeças, esse é um procedimento que requer uma dedicação maior ao planejamento para que a operação seja rentável.
  • Importar pode ser uma grande vantagem competitiva. Quando a importação acontece da melhor forma, a economia gerada na compra resulta em uma grande vantagem competitiva em relação aos concorrentes.

A burocracia envolvida na importação de autopeças

Conforme acabamos de ver, financeiramente a importação de autopeças pode ser bastante vantajosa. Entretanto, é preciso estar atento a toda a burocracia envolvida no processo – o que envolve o recolhimento de impostos específicos de importação.

  • Impostos e taxas: além de calcular o Imposto de Importação, também é necessário considerar os custos com ICMS, IOF, PIS e Cofins, conversão monetária, frete e outras taxas alfandegárias.
  • Nota fiscal: é obrigatória a emissão da nota fiscal de importação em todas as operações de entrada de mercadorias importadas no território nacional.Esse documento deve indicar as mercadorias, seus valores, o Código Fiscal de Operações (CFOP), impostos e taxas.
  • Incentivos fiscais: outro ponto que merece a atenção na importação de autopeças é a possibilidade de aproveitar incentivos fiscais. Um ótimo exemplo disso é a Resolução Camex n° 35/2016, que reduziu a alíquota do Imposto de Importação das autopeças não produzidas no Brasil e no Mercosul.

Importar em grandes quantidades: terceirizar ou fazer pela própria empresa?

Uma dúvida que surge sempre que falamos sobre a importação de autopeças é sobre a terceirização das compras de grandes quantidades de mercadorias. Existem empresas especializadas nesses procedimentos e a sua contratação diminui a preocupação da sua empresa com todos os procedimentos burocráticos envolvidos na compra.

Por outro lado, a opção pela terceirização pode elevar os custos envolvidos na importação de autopeças e reduzir uma parte do lucro que seria obtido com a economia da compra. Portanto, é preciso colocar os pontos positivos e negativos na balança para tomar a melhor decisão para o seu negócio.

Você já conhecia todas essas informações sobre a importação de autopeças? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Deixe o seu comentário!