Multas na importação: Como evitá-las?

Olá! Quando você vai a um espetáculo, ou a um show, espera chegar lá e ver os técnicos ainda trabalhando na montagem dos equipamentos? Espera que os artistas ainda estejam ensaiando ou buscando informações sobre o que fazer? Claro que não! Você espera encontrar um lindo espetáculo, que faça valer o valor investido nas entradas.

Pois seu processo de importação funciona como um show! Você precisa fazer toda a preparação com a mesma disciplina e antecedência que um grande show exigiria, porque quando sua carga chegar, será a grande hora e tudo tem que estar em perfeita ordem, para fazer valer o investimento feito e não gerar prejuízos.

A multa na importação pode ir de 1% à 30% do valor da carga, pode comprometer toda sua estrutura financeira, sua licença de importação. E, acredite, na grande maioria dos casos são geradas por erros que poderiam ser evitados com medidas simples. Mas, a boa notícia é que a preparação do processo, se feita de forma correta e com a devida antecedência, pode reduzir em até 90% as chances de erros que gerem multas no seu processo.

É consenso entre a grande maioria dos profissionais que atuam na importação, que as principais causas de multas na importação estão diretamente ligadas a ausência de planejamento. Seja por urgência na aquisição dos produtos, inexperiência, ou despreparo do importador, o fato é que a falta de planejamento ou um planejamento mal feito, traz grandes chances de prejuízo a operação, principalmente com multas.

Então, como preparar sua operação para a “hora do show”? As dicas a seguir podem ser um roteiro prático.

Planejamento e preparação para uma importação digna da Broadway:

Você precisa montar o espetáculo antes de vender os ingressos!

Defina corretamente a classificação fiscal (NCM): Antes mesmo de iniciar a aquisição do produto é importante buscar sua classificação fiscal. O erro de classificação fiscal é provavelmente o campeão de geração de multas. É importante descrever o mais detalhadamente possível, de maneira clara e que não deixe margens para erro de interpretação, para que na conferência física não haja incompatibilidades, o que pode levar ao canal vermelho.

O ensaio antes do show, ajusta o que está fora do ponto.

Faça uma Pesquisa de Tratamento Administrativo antes de embarcar a carga, pois tudo precisa estar no ponto certo quando ela chegar. Então é você quem deve saber o que será necessário (licença de importação, registros de órgãos específicos, etiquetas obrigatórias, etc…)

Checar os instrumentos é fundamental e dever do músico que o toca.

Análise documental na importação é dever do importador, ele é quem deve conferir os documentos antes mesmo do embarque pois o andamento na aduana em território nacional também será sua responsabilidade. Um entrave por falta de conferência nos documentos, pode gerar atraso e ocasionar multas. Coisas como falta de assinatura, informações incompletas, erros de digitação e etc, podem comprometer toda a operação. A ausência da INVOICE também é um fator comum para multas, tenha sempre o original com você, não faça uso de cópias.

Veja também: DUIMP: Tudo sobre a declaração única de importação

O bom espetáculo começa na sua montagem e se conclui na dispersão eficiente e segura do público.

Cuide dos menores detalhes do processo. Faça levantamento de custos, fique atento a questões documentais, priorize as questões fiscais. A logística também precisa ser considerada.

Os melhores profissionais, fazem o melhor espetáculo!

Esteja cercado dos melhores, peça ajuda, busque consultores, consulte seu despachante antes de dar início ao processo. Se ainda não tiver experiência na importação ou não tiver tempo suficiente para todo o planejamento, opte por importar através de uma trading. A operação terá maior segurança.

Veja também: 7 estratégias para fazer uma empresa de importação crescer

Antes de abrir as cortinas tenha todo o equipamento pronto e testado!

Ferramentas auxiliares do processo fazem toda a diferença, busque ter sempre uma estrutura pronta para agilizar a liberação da carga, mas sem abrir mão da segurança fiscal. É comum erros na emissão da nota, por interpretação fiscal errônea ou falha de digitação, e estes também podem ocasionar multas. Consulte sempre seu contador, procure ferramentas especializadas na emissão da nota de importação, evite digitação excessiva, minimize as divergências de dados entre a nota fiscal de entrada de importação e a Declaração de Importação (DI), sua nota deve ser praticamente espelho da DI.

Conheça: Case de sucesso na Importação – H3 Trading

Agora é hora de abrir as cortinas. Vá e dê um show de importação!

Até a próxima!