Controle financeiro empresarial: 3 regras essenciais

Tempo de Leitura 2 Minutos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Antes de partir para uma atuação mais completa e mais complexa você deve começar pelo básico: fazer o controle financeiro empresarial. Sem isso, é impossível para a sua empresa coletar dados que vão servir para a gestão fiscal e também existem chances maiores de ter despesas inesperadas. Quando você organiza as finanças da empresa, também evita a situação de falta de dinheiro em caixa para quitar todas as contas.

Powered by Rock Convert

Controle financeiro empresarial

Registrar todos os gastos e entradas

Ao registrar todos os gastos e entradas você vai identificar qual é a necessidade de caixa da empresa dentro do período — a isso é dado o nome de fluxo de caixa. Fazer isso é importante porque evita que você deixe passar gastos que parecem pequenos, mas que podem influenciar os resultados finais do negócio.
O ideal é que esse registro seja feito de maneira diária para que você conheça as necessidades financeiras da empresa de maneira mais precisa. Um fluxo de caixa negativo não necessariamente indica uma empresa que não é lucrativa, mas se o fluxo de caixa for sempre negativo existe indício de que algo está errado no negócio. Por isso, você precisa ter um controle financeiro empresarial rigoroso para saber como está a saúde financeira da sua empresa.

Planejar contas a receber e a pagar

Um bom controle financeiro empresarial também deve levar em conta o futuro, o que significa dizer que você também precisa levar em consideração as contas a pagar e a receber. Imagine, por exemplo, que sua empresa fez uma venda, mas que ela foi financiada.
Se você colocar essa venda como um recebimento do dia, você estará contando com um dinheiro que na verdade ainda não está em caixa. Com isso, há chances de que você tome uma decisão pensando que tem esse dinheiro disponível quando, na verdade, ele ainda não entrou no seu caixa.
Por isso, um planejamento de contas a receber e a pagar é o melhor a se fazer. As contas a receber dizem respeito às vendas feitas a prazo, enquanto as contas a pagar podem indicar as despesas fixas, como o aluguel, ou compras feitas também a prazo, como os fornecedores.
Esse planejamento vai ajudar o seu negócio a se preparar para a necessidade de capital em diferentes momentos do mês e do ano, garantindo que haja recursos suficientes para cumprir todas as obrigações.

Categorizar impostos

Dentro da gestão financeira também é preciso levar em consideração quais serão os impostos pagos pela empresa. Isso é importante porque os impostos são despesas que nem sempre são consideradas e, ao final, a conta não bate.
Para evitar que isso aconteça é preciso conhecer e categorizar todos os impostos, taxas e encargos com os quais a empresa precisa lidar. É preciso também levar em conta a periodicidade desse pagamento e a avaliação de quanto está sendo consumindo. Com isso, a empresa se prepara melhor para esses pagamentos e ainda garante mais regularidade.
Powered by Rock Convert

Não esqueça de compartilhar esse post!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no print
banner news

Siga a Mainô nas redes

Deixe um comentário

  Subscribe  
Notify of

Obrigado por se cadastrar!