O que é a declaração de importação?

Tempo de Leitura 2 Minutos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Você sabia que existe um formulário que deve ser preenchido para dar início ao processo de despacho aduaneiro? Esse formulário é chamado de declaração de importação e está inserido dentro do SISCOMEX.

No artigo de hoje, vamos falar sobre o que é a declaração de importação, como ela é formulada e quando ela é necessária. Continue acompanhando nosso artigo e saiba um pouco mais sobre o assunto.

Afinal, o que é a declaração de importação?

Ela é um documento elaborado eletronicamente que consolida todas as informações de uma importação de bens – informações tributárias, fiscais, cambiais, comerciais e estatísticas. Por se encontrar inserida dentro do SISCOMEX – o Sistema Integrado de Comércio Exterior -, somente quem possui a senha para operar o sistema pode preecher a declaração de importação.

O cadastro da DI é feito assim que a mercadoria importada chega ao país, e é ele que dá início ao processo de despacho aduaneiro.

Powered by Rock Convert
Powered by Rock Convert

Como ela é elaborada?

O preenchimento da DI consiste em duas etapas:

  1. A informação dos dados gerais, que é comum a todas as mercadorias que serão despachadas, além de dados para pagamento dos tributos, como o código da Receita, o código do banco e agência e data e valor do pagamento;
  2. A informação de dados mais específicos de cada uma das mercadorias. Via de regra, cada adição corresponde a uma mercadoria. Contudo, pode ser informada mais de uma mercadoria por adição, desde que sejam observadas as seguintes condições:
    1. As mercadorias devem ter em comum o regime de tributação, a natureza cambial, o fabricante, o exportador, o licenciamento não automático, a condição de venda, a medida e a unidade da alíquota específica, a capacidade do recipiente para IPI/bebidas, a unidade para fins estatísticos, o método de valoração aduaneira, o país de procedência, o acordo Aladi, NCM/Ex/Ato, NBM/Ex/Ato e NALADI/Ex/Ato;
    2. A unidade de medida, a quantidade da unidade de medida, a descrição, e o valor na condição de venda devem ser informadas na adição;
    3. Caso a adição associada à mercadoria exija a necessidade de especificação, para fins de valoração aduaneira.

Quando ela é requerida?

Via de regra, todas as vezes que mercadorias são importadas, assim que elas dão entrada no país, o registro da declaração de importação deve ser realizado. Entretanto, quando o valor dos bens importados forem inferiores a US$ 3.000 – com ou sem cobertura cambial, para pessoa física e pessoa jurídica e desde que não possua destinação comercial no caso de PF – pode ser feito o preenchimento da Declaração Simplificada de Importação.

Caso a empresa, ou pessoa física, não tenha efetuado a importação das mercadorias que lhe foram endereçadas, basta reportar o fato à Receita Federal. Nesse caso, a mercadoria vai a perdimento – perda do bem em favor da Fazenda Pública. Porém, se as mercadorias realmente forem importadas e for realizado o despacho aduaneiro, com o devido preenchimento da declaração de importação, a empresa passa a arcar com as obrigações tributárias de importador.

Gostou desse artigo? Continue acompanhando nosso blog para mais posts como esse e aproveite para saber como um software de gestão pode ajudar a sua importadora!

Powered by Rock Convert

Não esqueça de compartilhar esse post!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no print
banner news

Siga a Mainô nas redes

Deixe um comentário

  Subscribe  
Notify of

Obrigado por se cadastrar!