Importação via trading company: como funciona?

Tempo de Leitura 6 Minutos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Importação via trading company: como funciona? Essa é a pergunta de muitos empreendedores que desejam começar a importar e também de quem já importa, mas quer terceirizar a operação.

No artigo de hoje vamos falar sobre os vários tipos de importação que existem no Brasil. Própria, por conta e ordem de terceiros e por encomenda. Importar no Brasil não é para amadores, um simples deslize, pode resultar em uma multa expressiva, que terá impacto negativo e deixar o seu fluxo de caixa no vermelho. Nosso papel é te ajudar a compreender e saber tudo sobre o universo da importação. Hoje falaremos sobre como funciona a importação via trading company e suas nuances.

trading company

Quais são os tipos de importação? 

Cada vez mais empresas contratam outras empresas para internacionalizar as suas operações. Eu não estou falando dos prestadores de serviços que auxiliam nos serviços alfandegários, nada contra os despachantes aduaneiros, mas hoje, nosso foco neste artigo é outro.

Eu estou me referindo ao trabalho que é feito anteriormente, aquele que é feito quando o pedido é colocado no exterior.  Estas empresas cuidam de tudo, de uma ponta a outra de uma ponta a outra. Cuidam do frete, seguros, até mesmo de empresas especializadas em vistorias e tudo mais. Eu estou falando da importação via trading company. Você já ouviu falar destas operações intermediadas? Me diga nos comentários. 

Importar no Brasil por definição é algo muito complexo merece muito cuidado e controle. Um simples erro ou vacilo, pode custar um ônus pesado no bolso do empreendedor. Ônus esse, que se traduz em multas. Entretanto, você mesmo pode fazer as suas operações de importação. Desde que tenha energia, recursos ou conhecimento para vencer todas estas barreiras, e já te adianto que não são poucas. Porém, se você deseja investir mais tempo nos seus negócios, você pode contratar alguém, ou uma empresa para fazer essas operações para sua empresa.

Você pode estar se perguntando: Mas porque contratar alguém pra fazer isso por mim? Ouço esse questionamento com frequência, sobretudo, daqueles que desconhecem a quantidade enorme de itens para fazer a liberação de uma mercadoria importada no Brasil.

Importação via trading company funciona?

No mundo atual, as empresas focam no seu core business e deixas as atividades “meio” para agentes econômicos terceirizados. No comércio exterior isso não é diferente. Muitas companhias já iniciaram esse processo de terceirização de suas operações de importação de mercadorias. Elas focaram exclusivamente em vender os seus produtos, e atender as necessidades dos seus clientes. Muitos empresários, principalmente aqueles que são iniciantes no mercado do comércio exterior, enfrentam problemas quando vão importar produtos para revender no Brasil. Isso é totalmente normal. Entre os principais problemas enfrentados, estão a falta de conhecimento nos trâmites logísticos, e também a falta de conhecimento dos procedimentos aduaneiros. Para minimizar esses problemas enfrentados, muitos importadores buscam o auxílio de uma trading company. Mas o que faz uma trading e pra que ela serve? Fique até o final do artigo que eu vou te explicar.

O que faz uma trading company?

As tradings companies são empresas que se especializaram em cuidar dos trâmites burocráticos na importação. Elas planejam cada etapa da importação desde a emissão documental do exportador, até a liberação alfandegária aqui o Brasil. Mas não é só isso, elas negociam valores com fornecedores, buscam melhores parceiros para atuar na sua operação. E além disso pressionam mais tempo por taxas cambiais.

Então quais são as vantagens que a trading company oferece aos seus negócios?

Por serem empresas especializadas em importar, elas possuem uma extensa redes de parceiros e oferecem serviços de qualidade e com preços atrativos. Além da redução de custo, a trading ajuda na condução dos trâmites burocráticos planejamento tributário e fiscal além de conduzir a emissão dos documentos internacionais de acordo com as legislações brasileira, e te digo mais: isso evita multas e atrasos operacionais. 

Por exemplo, ao contratar um frete internacional, é padrão que a companhia de transporte lhe forneça um prazo de entrega do contêiner vazio com prazo de 15 dias. Após sua carga chegar, você terá que devolver a unidade vazia neste prazo. Se passar disso, existe uma multa diária que chamamos de demurrage. ao trabalhar com uma trading, ela já tem negociado os prazos maiores para a entrega do contêiner, com prazos mínimos de 21 dias, podendo chegar até 30 dias. O mesmo vale para taxas, prazos, taxas cobradas por armazéns, despachantes aduaneiros e transportadoras.

Caso queira, veja 5 dicas de como evitar custos extras com armazenagem numa importacao

Abaixo, eu irei detalhar como funciona cada tipo de importação.

Importação própria

Chamamos de importação própria aquelas operações em que empresa que irá distribuir o seu produto no mercado  local ou então a que está comprando para usar é a mesma que promove a importação, não tem nenhum intermediário.

Powered by Rock Convert

Esse tipo de operação é feito por empresas que já dominam o processo de importação de uma ponta a outra, que possuem expertise, recursos materiais e financeiros para conduzir a operação junto a todos os órgãos intervenientes.  Uma operação própria requer muito controle de quem está conduzindo, porque que a atividade-fim da empresa não é importação, e sim a comercialização dos produtos importados.

 Em suma, para uma empresa importar diretamente e distribuir seus produtos no mercado nacional, é preciso ter conhecimento de todos os trâmites burocráticos, alfandegários, ter uma extensa rede de fornecedores e possuir um departamentos especializado em importação para conduzir cada etapa exigida neste processo. Isso não é impossível de se vencer, mas é preciso ter um excelente corpo técnico para evitar prejuízos. Na importação nada barato, e os prejuízos podem ser altíssimos.

Importação via trading company por conta e ordem

 Já sabemos o que que é importação própria, e a próxima que falaremos, é operação por conta e ordem de terceiros. A importação por conta e ordem de terceiros é um serviço prestado por uma empresa, a trading company, que promove em seu nome o Despacho Aduaneiro de importação de mercadorias adquiridas por outra, a adquirente.

Nesta operação, deve existir um contrato previamente firmado, que pode compreender ainda prestação de serviços relacionados com a transação comercial, a realização de cotação de preços internacionais e a intermediação comercial. Além disso, é preciso que ambas comprovem capacidade financeira para adquirir as mercadorias importadas.  A Receita Federal tem estado muito preocupada com essa capacidade financeira e as empresas tenham os seus CNPJ´s vinculados a um sistema chamado sistema integrado de comércio exterior,  o Siscomex, antes da operação acontecer.  

Até aqui falamos de dois tipos de importação: a própria a qual a empresa promove e a importação por conta e Ordem, em que a empresa contrata uma terceira para fazer. Abaixo vamos falar da importação por encomenda.

Importação por encomenda

A importação por encomenda é um tipo de operação em que uma empresa, a encomendante, previamente  interessada em uma certa mercadoria contrata uma trading Company, para que  com seus próprios recursos providencie a importação destas mercadorias. Neste caso,ela não pode vender para nenhuma outra empresa, ela precisa  revender exclusivamente para esta encomendante

Nesta modalidade, a compra destas mercadorias no exterior, é feita com os recursos da trading, e não pode ter nenhum tipo de antecipação. Diferentemente da importação por conta e Ordem, a alteração cambial para pagamento da importação deve ser realizado exclusivamente em nome da trading Company. 

Importação via trading company: vale a pena terceirizar?

 Você deve estar se perguntando: porque contratar em uma outra empresa para ir ao exterior, comprar mercadorias e revendê-las nacionalmente com uma margem de lucro? A resposta é: capital.

Para este tipo de operação, o risco da importação, inclusive cambial, fica a cargo da trading Company. A encomendante tem um preço pré-determinado antes mesmo de embarcar e qualquer oscilação de valor, sejam por questões operacionais ou cambiais, serão suportadas pela trading Company.

Por outro lado, para a trading, existe a oportunidade de operar em um mercado com margem de lucro, em um produto que ela desconhece suas condições comerciais e de distribuição. Visto isso, resta apenas para ela revender pelo preço final do produto e trabalhar para que tudo saia como planejado. Afinal de contas, isso é a sua expertise.

Importante: vamos falar de alguns requisitos importantes, tanto na operação por conta e ordem, quanto na operação por encomenda. É preciso ter um contrato entre ambas as partes vinculado à Receita Federal que discrimina os detalhes da operação, e que ambas as empresas possuam um radar. Além disso, é preciso explicar e comprovar a origem dos recursos aplicados nessa operação. 

Se ainda tem alguma dúvida, deixe nos comentários! Compartilhe este artigo com seus colegas de trabalho ou parceiros de negócio. Até a próxima!

 

Powered by Rock Convert

Não esqueça de compartilhar esse post!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no print
banner news

Siga a Mainô nas redes

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Obrigado por se cadastrar!