A morte dos ERPs completos

Responda rápido: nas olimpíadas, você escalaria o Neymar para competir no levantamento de peso?

Não entendeu o motivo da pergunta ou o que isso tem a ver com ERPs? Continue lendo que você vai entender.

Nos últimos anos temos visto uma proliferação de softwares SAAS. Entretanto, uma característica em comum entre os sistemas SAAS é que eles costumam ser bastante especializados em resolver um único problema. Você não encontra ERPs completos no modelo SAAS, a não ser que você esteja disposto a pagar muito dinheiro por isso.

O que são ERPs completos?

Considero aqui ERPs completo um sistema que controle todas as funções da empresa: Compras, Vendas, Estoque, Produção, Serviços, Faturamento, Contabilidade, Financeiro, RH, etc.

Essas soluções completas custam caro. No geral, leva-se meses para realizar a implantação e você precisa estar disposto a investir muito, mas MUITO dinheiro. E no fim das contas, você tem um sistema “meio capenga”. Sabe aquele sistema com um monte de telas, um monte de campos e um monte de problemas?

Meu objetivo é mostrar um outro caminho. O caminho que empresas mais jovens vem seguindo com muito sucesso, diga-se de passagem.

Pra começar, temos que entender qual a influência da nova geração de empresas de software.

“Find your one thing and do that one thing better than anyone else.” _Jason Goldberg

Essa frase quer dizer que toda empresa deve se concentrar em fazer apenas uma coisa, mas fazer isso melhor que todas as outras. É o mesmo que o conceito do porco-espinho, descrito pelo renomado consultor Jum Collins. É o conceito que lhe ajuda a definir a atividade na qual você pode ser o melhor do mundo.

Vamos a um exemplo prático?

Aqui na Mainô, apenas como ferramentas relacionadas a marketing e vendas, utilizamos:

– RD Station para gerenciar os leads;
– Instapage para criar sites de conversão de leads;
– Exact Sales para filtrar os leads qualificados pelo marketing;
– Pipedrive para gerenciar o funil de vendas;
– Meetime para realizar apresentações;

São 5 ferramentas APENAS para o processo de vendas. Entretanto, temos certeza que estamos usando as melhores ferramentas dentro do que elas se propõem a fazer. Na Mainô usamos mais de 20 ferramentas.

O mais incrível é que essas ferramentas se integram. Então posso utilizar 5 ferramentas diferentes que funcionam, a grosso modo, como se fossem apenas uma, mas com várias vantagens:

– Um custo muito menor do que grandes soluções;
– Se uma ferramenta não funcionar bem, ou não prestar um bom serviço (como o de suporte), posso trocar essa única ferramenta como quem troca uma engrenagem de um motor;
– As soluções, por serem especializadas, são muito melhores no que se propõem a fazer;
– As soluções costumam ser muito simples de utilizar, não necessitando praticamente de treinamento.

Lembra da história do Neymar levantando peso?

Pois é. Aqui na Mainô o Neymar só joga bola mesmo. Escolhemos os melhores sistemas do mundo em cada especialidade.

Mais uma coisa. Aqui é casa de ferreiro, espeto de ferro mesmo.

Nós desenvolvemos softwares de gestão modelo SAAS para empresas atacadistas PME gerenciarem suas atividades comerciais. Nós temos monitoramento de NF-es, Gestão de Estoque, Vendas, Faturamento e Cobrança. Nosso “one thing – a única coisa” é a parte comercial da empresa.

Não fazemos RH, Folha de Pagamento, Financeiro, Contabilidade, etc. Mas nós somos o Neymar do comércio atacadista PME. Ninguém faz isso melhor que a gente no Brasil.

E como seus clientes fazem para controlar as finanças, por exemplo?

O que não fazemos resolvemos com integrações. Precisa que as informações de vendas de nossos sistemas Comex NF-e ou Traxo virem lançamentos financeiros? Você pode usar nossa integração com o sistema Nibo, que é o melhor sistema financeiro do Brasil.

O fato é que hoje, não faz mais sentido gastar milhares de reais em licenças, customizações. Investir dias, meses, em alguns casos até anos de implantação, treinando o Neymar para levantar peso.

É desperdício. Bota o menino pra jogar bola.