Exportação: entenda as principais etapas e procedimentos

Tempo de Leitura 4 Minutos
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no print

Incluir a exportação na estratégia de vendas da sua empresa pode levar a ótimos resultados, já que ela possui uma série de benefícios, como elevar sua receita, diversificar seu mercado consumidor, reduzir os tributos pagos etc. No entanto, começar a exportar pode se mostrar um desafio, uma vez que a atividade envolve uma série de etapas e procedimentos técnicos que precisam ser realizados. 

Para que você, empresário que está pensando em apostar na exportação, entenda mais sobre o assunto, vamos abordar as principais etapas e procedimentos técnicos da operação: pesquisa e planejamento, negociação e vendas, e envio da mercadoria

Exportação: pesquisa e planejamento

Antes de investir na exportação, é importante que você tenha em mente uma série de fatores que podem influenciar na viabilidade da empreitada: para onde exportar, a concorrência, o preço internacional do produto, como seu bem será exportado, o canal de distribuição no local de destino, dentre outros. 

A primeira coisa que deve ser realizada é a pesquisa de mercado, que levará em consideração todos esses fatores e indicará o potencial de sucesso da operação. Após verificar a viabilidade da exportação do seu produto, você precisa elaborar um plano estratégico de exportação para garantir que a operação cumprirá suas metas e seja um sucesso!

Um dos tópicos mais importantes do planejamento é justamente a escolha do tipo de exportação, que pode ser realizada de forma direta pela sua própria empresa, ou de forma indireta por meio de empresas distribuidoras ou por trading companies. Essa escolha impactará nos seus ganhos e nas suas responsabilidades quanto à exportação.

Negociação e Vendas

É a partir desse momento que a complexidade da exportação pode ser percebida por quem está começando a exportar. Após mapear potenciais mercados e clientes interessados em seu produto, você (ou a empresa intermediária) deverá conduzir uma série de negociações que envolverão temas como preço, meio de pagamento, distribuição de riscos e responsabilidades. O documento que formalizará essa negociação é Proforma Invoice, que atua como uma proposta comercial. 

Uma vez que comprador e vendedor cheguem a um acordo, a operação será oficializada através de um segundo documento, que atua como uma nota fiscal internacional: a Commercial Invoice. Nela serão encontrados todos os detalhes da operação: descrição, preço, forma e prazo de pagamento, quantidade, Incoterm. Essas informações também deverão estar presentes na Nota Fiscal de Exportação, documento que a empresa exportadora deve gerar em âmbito nacional, a fim de controle fiscal, e que acompanhará a carga até o momento de embarque.

planilha-de-calculo-de-nf-e-importacaoPowered by Rock Convert

É preciso ter atenção ao preencher a Nota Fiscal eletrônica, pois a partir dela a empresa gerará a DU-E, documento que é obrigatório para o despacho aduaneiro da sua mercadoria. A DU-E é o principal documento da exportação no Brasil, contendo informações como a NCM, a unidade de medida tributável e a modalidade do Incoterm.

Envio da mercadoria 

A última etapa do processo de exportação é a conclusão da operação por meio do envio da mercadoria ao importador. Esse é o momento mais delicado da exportação, já que a carga está sujeita a imprevistos e possíveis avarias. Por isso, é importante entrar em acordo. Este acordo importante na adoção de um Incoterm que seja benéfico aos interesses do comprador e vendedor.

O Incoterm vai determinar até onde a mercadoria é responsabilidade do exportador, assim como os riscos. A contratação de seguro internacional é recomendável.

Nessa fase, os documentos que a empresa exportadora deve gerar são: Romaneio (Packing List), que lista o conteúdo da carga; Certificado de Origem, que atesta a origem da mercadoria; e o Conhecimento de Embarque (Bill of Landing), responsabilidade da transportadora.

Desburocratizando a Exportação: Sistema Mainô

Com todas essas etapas e procedimentos, que envolvem a emissão de diferentes documentos, a exportação pode se tornar um desafio para sua empresa. Mas a Mainô pode te ajudar! Nosso Sistema para Exportação permite que o processo de exportar seja muito mais automatizado, reduzindo burocracia, custos e riscos para a sua empresa. O Sistema Mainô:

  • Sinaliza a Unidade de Medida Tributável correta, a partir da NCM;
  • Referência a sua Nota de Exportação em função da NF-e de entrada;
  • Emite a DU-E a partir da Nota de Exportação;
  • Gerencia todo o processo de exportação.

Nosso sistema atua diretamente no controle de estoques e na emissão de documentos essenciais para a exportação – a NF-e, a Nota de Exportação e a DU-E – otimizando toda a operação. Além disso,  o Mainô garante eficiência de toda a sua gestão. 

COM O SISTEMA MAINÔSEM O SISTEMA MAINÔ
Fluxo de vendas automatizado e personalizável.Fluxo de vendas manual.
Controle de estoque  inteligente através das NF-es.Ausência de integração entre as atividades.
Controle total do processo de Exportação.Processo de Exportação disperso e burocrático.
Emissão da NF-e e DU-E automatizada e integrada.Emissão da NF-e e DU-E manual e separada.
Conversão da Unidade de Medida Tributável. Busca manual pela Unidade de Medida Tributável.

Quer saber como o Sistema Mainô pode ser o seu aliado no processo de exportação? Clique no link e experimente o nosso sistema 100% GRÁTIS por 3 dias! 😮

Até a próxima!

Ebook incoterms 2020Powered by Rock Convert

Não esqueça de compartilhar esse post!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram
Compartilhar no print
banner news

Siga a Mainô nas redes

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Obrigado por se cadastrar!